terça-feira, 26 de novembro de 2019

Deck Guzz/Naga




Aqui é Mateus, mais conhecido como Pupilo e neste breve artigo vou falar sobre os Internacionais de Pokémon que ocorreram em São Paulo.

Em relação aos outros Internacionais que ocorreram antes, o número de jogadores da categoria Master só foi aumentando, com exceção do primeiro Internacional para o segundo. Isso pode ter ocorrido pelo fato do evento ser uma novidade.

Na temporada 2016-2017 foram 626, na temporada seguinte foram 596, na temporada 2018-2019 foram 630 e no evento desse ano foram 780.

Neste ano tivemos mudanças na segurança, como passar por detector de metais e revista na mochila. Outra mudança foi a necessidade de espectadores adquirirem uma credencial para um maior controle do evento.

O evento contou com o novo deck de Guzzlord/Naganadel. O deck era formado de:

Pokemon-11

4 Misdreavus UNB
4 Mismagius UNB

Treinadores-41


Energia-8


A estratégia do deck consiste em utilizar a habilidade “Mensagem Misteriosa” do Mismagius para fazer com que o oponente fique com 3 ou 4 prêmios, permitindo a utilização da carta Portal de Criatura e assim energizar o Guzz/Naga. Além disso, o deck conta com a carta “Condutor de Criatura”, facilitando as partidas contra Tag Team e GXs, visto que essa ferramenta compra um prêmio a mais. Assim,o deck necessita comprar 4 premios e utilizar o ataque Gx. Alem disso o deck conta com sua habilidade “Apetite Violento” que cura 60 do Guzz/Naga e também conta com a Lulu e Vitoria, que cura 120.

A presença desse novo deck e do aumento de jogadores ao longo dos anos mostra como o Pokémon vem crescendo sua comunidade e como o jogo sempre esta em mudança e não ira se tornar algo repetitivo e parado. Assim vamos ver se os próximos eventos vão manter essa linha de crescimento e criatividade nos decks.



segunda-feira, 14 de outubro de 2019

Analise: top3 decks do Meta

Após estes últimos regionais (Cologne/Atlantic City) é um bom momento para refletir a atual consolidação do metagame com uma analise do top 3 decks que se destacaram.

Primeiro, vamos analisar o top 4 dos dois eventos citados:

Colagne/Atlantic City:

1-Tord Reklev/Azul Garcia Griego: Mewtwo & Mew
2-Sander Wojcik/Grant Manley: Pidgeotto Control
3-Pedro Eugenio Torres/Isaiah Bradner: Pikachu Zekrom/Mewtwo Mew
4-Vincent Marcus Munk/Tristan Macek: Gardevoir Sylveon/Mewtwo Mew

É possível vermos com a comparação de ambos os torneios que não houve mudanças nos principais deks do metagame, mesmo com a participação do primeiro torneio da coleção Hidden Fates. Dito isto, analisarei os três decks mais completos apresentados nos dois campeonatos e explicarei o motivo de tê-los escolhidos.

Top 3, escolho o deck de Gardevoir & Sylveon-GX:

Pokemon - 5

1x Xerneas-GX FLI 90

Trainer - 46

4x Coach Trainer UNM 192
2x Bill's Analysis TEU 133
4x Pokegear UNB 182
4x Cherish Ball UNM 191
4x Custom Catcher LOT 171
4x Switch SUM 132
2x Super Scoop Up BUS 124
2x Great Potion UNM 198
2x Energy Spinner UNB 170
2x Reset Stamp UNM 206
2x Tag Switch UNM 209
2x Fairy Charm L UNB 172
2x Fairy Charm P LOT 175
1x Choice Helmet LOT 169
1x Stealthy Hood UNB 186
4x Power Plant UNB 183

Energy – 9


Diante disto escolhi Gardevoir & Sylveon para o terceiro lugar por conta de ser um deck que apresenta mais pontos relativamente positivos do que negativos para o formato atual, tais como:

-Não possuir Pokemons que contenham habilidade podendo assim ter 4 Usina elétrica que lhes dão vantagem no metagame dependente de Pokemons com habilidade para dar construções a jogadas(Ex: Dedenne-gx).
-Possuir pingentes que a fazem não tomar dano de determinados Pokemons. 
-Fator cura ser efetivo combinado com um HP de 260.

Suas desvantagens e o que fez o deck ter sido escolhido para ficar na terceira posição é o fator instabilidade e lentidão, pois Gadevoir & Sylveon realmente na teoria seria incrível se conseguisse aplicar em todas partidas as verdadeiras propostas do deck.

Top 2, escolho o deck de Pidgeotto Control:

Pokemon - 19

3x Pidgey TEU 122
1x Pidgey TEU 121
4x Pidgeotto TEU 123
4x Oranguru UPR 114
4x Jirachi TEU 99
2x Articuno-GX CES 31
1x Ditto Prism Star LOT 154

Trainer - 37

2x Tate & Liza CES 148
2x Mars UPR 128
1x Cynthia UPR 119
1x Jessie & James HIF 58
4x Pokegear UNB 182
4x Acro Bike PRC 122
4x Crushing Hammer SUM 115
3x Custom Catcher LOT 171
2x Reset Stamp UNM 206
2x Chip-Chip Ice Axe UNB 165
2x Pal Pad FLF 92
1x Escape Board UPR 122
3x Power Plant UNB 183

Energy - 4

1x Recycle Energy UNM 212

Diante disto escolhi Pidgeotto Control para o segundo lugar por conta de ter como seu maior inimigo o grande desgaste mental em seu usuário, pois Pidgeotto é um deck de controle que visa impossibilitar seu oponente de atacar em um determinado período do jogo e controlar a mão de seu oponente para que o mesmo não compre cartas necessárias para voltar ao seu padrão de jogo normal. 

Portanto em um campeonato de muitas rodadas o cansaço e o tempo são seus maiores inimigos. Porem por qual motivo escolhi Pidgeotto para segunda posição? Por possuir a virtude da consistência, o baralho precisa de dois turnos para conseguir iniciar sua estratégia e filtrar-se graças a Professor Elm's Lecture que pega além dos Pidgeys os próprios Pidgeottos.

Top 1, escolho o deck campeão de ambos os regionais Mewtwo & Mew:

Pokemon - 22

4x Mewtwo & Mew-GX UNM 71
4x Dedenne-GX UNB 57
2x Nincada LOT 29
2x Shedinja LOT 95
2x Solgaleo-GX PR-SM SM104
1x Magcargo-GX LOT 44
1x Charizard-GX HIF 9
1x Latios-GX UNM 78
1x Naganadel-GX UNM 160
1x Greninja-GX PR-SM SM197
1x Marshadow UNB 81

Trainer - 24

4x Welder UNB 189
2x Hapu UNM 200
2x Red's Challenge UNB 184
4x Cherish Ball UNM 191
2x Reset Stamp UNM 206
1x Switch SUM 132
3x Giant Hearth UNM 197
2x Lysandre Labs FLI 111

Energy - 14


Diante disto escolhi Mewtwo & Mew como vencedor por três motivos, tais como:

-Versatilidade, pois Mewtwo & Mew é um deck amplo que aceita diferentes estratégias e maneiras de ganhar a partida por possuir a vantagem da habilidade Perfection (Este Pokémon pode usar os ataques de qualquer um dos seus Pokémon-GX e Pokémon-EX no seu Banco ou na sua pilha de descarte, você precisa das Energias necessárias para usar os ataques).

-Aceitar a carta Welder, pois a carta quebra a regra básica de poder ligar uma energia por turno aos seus Pokemons fazendo com o que Mewtwo & Mew ligue até 5 cartas de energia em seus Pokemons com Welder+Turno+Ataque do Solgaleo Turbo Strike(Ligue 2 cartas de Energia Basica da sua pilha de descarte a 1 dos seus Pokemon no Banco).

-Dano ilimitado, Mewtwo & Mew é um dos poucos decks que podem causar danos indeterminados graças ao Magcargo-GX com seu ataque Lava Flow( 50+ Você pode descartar quantas Energias Básicas quiser deste Pokemon. Este ataque causa 50 de dano adicional para cada card descartado desta forma).

No entanto Mewtwo & Mew como todo deck tem sua fraqueza e o nome dela é a carta Usina elétrica, que com toda certeza todos os usuários do baralho já sofreram e sofrem com esta carta, então esteja preparado para isto.

Escrito por: Macena

quarta-feira, 18 de setembro de 2019

Report do Mundial


Salve galera, eu sou o Vitinho e hoje vou contar um pouquinho de como foi a minha experiência de jogar o meu primeiro mundial de Pokémon TCG.

Decidi que jogaria o mundial esse ano em meados de abril, após o regional de Fortaleza, onde praticamente fechei minha vaga e junto com o anúncio de que a rotação iria ocorrer um dia antes do mesmo. Desde então vim pensando em possíveis decks para jogar o torneio, porém sem muito foco, visto que ainda teria mais duas coleções antes do evento e ainda havia o regional de São Paulo.


Comecei meus treinos efetivamente em junho, pensando inicialmente em três decks: PikaRom, Blacephalon/Naganadel e Alolan Exeggutor. Montei as listas com auxílio do time e alguns amigos locais e solicitei pra eles montarem listas que julgassem ter poder para disputar o mundial. Particularmente não senti confiança em nenhuma das listas e comecei a modifica-las um pouco, porém não chegando ao meu agrado, ainda mais que não me considero um deckbuilder.

O próximo deck que montei para testar foi Aerodactyl-GX. O deck possuía uma partida favorável contra PikaRom e Dark Box, e uma partida equilibrada contra GreenZard. O maior problema do deck ficava por conta de Malamar, principalmente da versão com Ultra Necrozma, por não possuir um atacante efetivo contra o mesmo.

Em meados de julho, meu tempo para treino começou a ficar turbulento, por conta das atividades que precisava realizar por causa do meu curso de Mestrado, e cada vez menos conseguia arrumar tempo durante a semana para treinar.

Decidi então em focar em um deck cuja mecânica me agradou bastante, porém precisaria verificar a lista ideal, devido a quantidade de vertentes que o mesmo possuía: Mewtwo & Mew GX.

Logo de cara descartei a versão com Mina, devido sua velocidade ser inferior à versão com soldadora, que pode ligar uma energia a mais, além de comprar 3 cartas.

Próximo passo seria a definição se usaria rainbow com atacantes variados ou básicas com atacantes mais “limitados”. Para aproveitar melhor o ataque “Turbo Strike” do Solgaleo-GX e o estádio Floresta de Viridian, optei por utilizar energias básicas.

Inicialmente comecei a lista com 9 energias de fogo, 3 psíquicas e uma fada, e o deck incluía uma cópia de Altaria-GX. Logo após meu primeiro jogo, removi a mesma do deck junto com a energia de fada e coloquei uma energia de água e o Greninja-GX do filme Detetive Pikachu.

Após diversas mudanças entre adicionar e remover cartas, eis a lista que utilizei no mundial de Pokémon TCG:

Pokémon


4 Jirachi (PR-SM161)
3 Mewtwo & Mew GX (UNM-71)
2 Dedenne GX (UNB-57)
1 Jirachi GX (UNM-79)
1 Espeon & Deoxys GX (UNM-72)
1 Latios GX (UNM-223)
1 Greninja GX (PR-SM197)
1 Naganadel GX (UNM-160)
1 Dragonite GX (UNM-152)
1 Solgaleo GX (PR-SM104)

Treinadores

2 Hapu

Energias




Aqui está o motivo da escolha dos Pokémon:



4 Jirachi – Optei por utilizar quatro cópias para aumentar a chance de iniciar com ele;
3 Mewtwo & Mew GX – Principal atacante, sem mais;
2 Reshiram e Charizard GX – Segundo atacante do deck, utilizado em partidas caso acabe descartando uma cópia e fosse necessário um segundo atacante;
2 Dedenne GX – Descarta a mão e compra 6 cartas. Combina perfeitamente com o deck, principalmente se possuir apenas Pokémon na mão;
1 Jirachi GX – Apenas pela habilidade para remover fraqueza, principalmente na mirror e contra Malamar;
1 Espeon e Deoxys GX – Está no deck pelo ataque Cross Division GX, principalmente contra decks de setup, como Malamar;
1 Latios GX – Presente no deck pelo ataque Tag Purge, extremamente eficaz contra decks de Tag Team;
1 Greninja GX – Como o primeiro dia é uma “selva”, decidi utilizar como tech contra Keldeo e Alolan Ninetales, além de ser um atacante que bate 130, para matar Giratina entre outros;
1 Naganadel GX – Seu ataque Venom Shot permite caçar Dedennes perdido no banco, especialmente para finalizar o jogo;
1 Dragonite GX – Principal Big Hitter do deck, podendo causar 270 de dano ao custo de 5 energias;
1 Solgaleo GX – Presente pelo seu ataque Turbo Strike, capaz de reciclar energias e montar novos atacantes.
Abaixo segue um pequeno report de como foi o mundial:
1 – GreenZard – W
Jogo sem muitos problemas, GX do Reshizard e Tag Purge do Latios-GX são padrões, além de encaixar bem o Reset Stamp nas duas partidas.
2 – PikaRom – L

Aqui a falta de treino e o azar atrapalharam bem. Durante o primeiro jogo, utilizei uma Acro Bike e, acidentalmente, a terceira carta veio junto com a segunda, o que acarretou em um Double Prize Card. Como meu oponente já havia matado um Jirachi, bastante apenas um nocaute em um Mewtwo & Mew para finalizar o jogo, o que acabou acontecendo.

Segundo jogo, próximo ao final, no último turno do meu oponente, o mesmo quebrou meu estádio com Laboratório de Lysandre. Durante meu turno, energizei meu Mewtwo para utilizar o ataque Venom Shot da Naganadel-GX para nocautear o Dedenne do meu oponente, utilizando uma soldadora para comprar todo o deck. Com o Jirachi travado na frente, sem estádio ou switch na mão, acabei perdendo por deckout.

3 – Shedinja Control – W

Primeiro jogo meu oponente não conseguiu “setar” muito bem e eu consegui encaixar o GX do Espeon & Deoxys para nocautear os Pokémon do banco. Segundo jogo meu oponente conseguiu entrar no looping que o deck foi montado para fazer, porém a aleatoriedade de um embaralhamento fez com que o mesmo comprasse cartas na ordem errada, de modo que ficou com 2 cartas na mão e 4 no deck. Apenas utilizei o carimbo para garantir a segunda vitória.

4 – Ultra Necrozma / Malamar – L

Infelizmente o Jirachi-GX decidiu ficar tempo demais nos prêmios, tornando a troca muito desfavorável.

5 – GreenZard – L

Novamente a falta de treino veio cobrar. Perdi o primeiro jogo numa disputa acirrada, porém o segundo foi por missplay. Durante a partida, acabei declarando o ataque do Latios-GX sem possuir 5 Pokémon no banco. Após conversar com o juiz, o mesmo informou que como o ataque já havia sido declarado, eu estava na “fase de ataque”, não podendo realizar nenhuma outra ação. Como não havia nenhum ataque para utilizar, fui forçado a passar o turno, o que ocasionou na derrota.

Mesmo não tendo mais chance de avançar para o segundo dia da competição, decidi continuar jogando, mais como treino para o próximo dia, já que ainda jogaria o DC Open.

6 – Pikarom – W

Partida sem grandes detalhes, deck funcionou como esperado.

7 – Gardeon – W

Primeira partida consegui vencer sem muito esforço. Segunda partida meu oponente conseguiu o combo de Magical Miracle GX com 6 energia e Power Plant em campo. Tive que ficar recuando entre meus Pokémon até conseguir atacar. Após alguns turnos, consegui voltar para a partida e garantir a vitória.

8 – Malamar – L

Incrivelmente, Jirachi-GX decidiu novamente fazer uma visita aos prêmios, custando um dos jogos. Segunda partida o oponente conseguiu realizar bem o setup dele, conseguindo levar o jogo com tranquilidade.

Após as 8 rodadas, meu saldo final ficou 4-4-0. Acredito que se tivesse conseguido treinar mais antes, poderia ter um resultado melhor, visto que ficaria mais tranquilo para jogar com o deck, não tomando a punição e jogando com mais calma.

Porém, a jornada ainda não havia acabado. No dia seguinte ainda jogaria o Open e precisava decidir o deck para jogar e enviar a lista. Devido ao cansaço e falta de treino com outros decks, optei por jogar com a mesma lista. Abaixo um report do DC Open.

1 – Malamar – T

Ganhei a primeira partida pois meu oponente não conseguiu montar o setup muito bem. Segunda partida meu oponente ganhou faltando 1 minuto para acabar o tempo da rodada.

2 – Blacephalon / Naganadel – W

A partida basicamente se resume em quantos Portais de Criatura o oponente conseguirá utilizar. Como a minha oponente encontrou apenas 1 em cada partida, consegui vencer sem problemas.

3 – Lost March – W

Primeiro jogo o oponente não conseguiu enviar muitos Pokémon para a Lost Zone e cometeu o erro de baixar um BuzzMhosa, prêmio fácil para o Reshizard. Segundo jogo consegui encaixar o GX o Espeon Deoxys e limpar a mesa do oponente.

4 – Reshizard – T

No primeiro jogo meu oponente acabou comprando 4 cartas em uma soldadora, fazendo-o tomar um Double Prize Card, o que lhe custou o jogo. Segundo jogo foi disputado, porém Power Plant roubou a cena. Terceiro jogo, infelizmente, não deu tempo de terminar.

5 – Dark Box – L

Tive um começo de jogo turbulento em ambos as partidas, e como não conseguia causar 1HKO no segundo Pokémon devido a resistência, meu oponente acabou levando os jogos.

Após considerar que teria mais 4 jogos para o fim do torneio, e que teria que ganhar todos para conseguir uma classificação, decidi desistir do torneio para poder acompanhar e torcer para um amigo da Junior que estava jogando o segundo dia do mundial.

Gostaria de aproveitar para parabeniza-lo pelo Top 4 que conseguiu, um feito histórico para o Brasil, visto que foi o melhor brasileiro classificado em todas as categorias, e pelo incrível progresso que tem feito recentemente, Parabéns Cassio!

Pessoal, hoje vou ficando por aqui. Espero que tenham gostado da leitura e, caso tenham alguma dúvida, podem deixar aqui nos comentários.



Um abraço e tchau!

segunda-feira, 5 de agosto de 2019

Análise de deck #2: Phantasm Spiral/Fantasma Espiral

 Matheus Martins de Almeida 
Team Arena (Yu-Gi-Oh)

Um deck que surgiu na coleção da Crise Máxima o deck se baseia em manter o campo Pacifis, a Cidade Fantasma para sempre que um monstro normal for invocado no seu campo   você possa buscar as armadilhas e magias de equipamento. As armadilhas (as boas armadilhas do arquétipo) podem ser ativadas da mão enquanto você controlar o campo Umi e banidas do cemitério para mudar um equipamento do seu campo para outros monstro normal que você controla e equipa-lo, os equipamentos do arquétipo caso o monstro batalhe ou cause dano ou destrua um monstro os equipamento invocarão um Dragão Fantasma Espiral.


Cartas importantes no deck:



Mágica de campo

(O nome deste card deve ser sempre considerado como "Umi".)
Você não pode Invocar Monstros de Efeito por Invocação-Normal ou Especial no turno em que ativar quaisquer dos efeitos deste card (mesmo que este card deixe o campo). Uma vez por turno, se você Invocar por Invocação-Normal ou Especial exatamente 1 Monstro Normal (e nenhum outro card): adicione 1 card "Fantasma Espiral" do seu Deck à sua mão. Se seu oponente ativar um card ou efeito (exceto durante a Etapa de Dano) e você não controlar nenhuma Ficha: você pode Invocar por Invocação-Especial 1 "Ficha de Fantasma Espiral" (Tipo Wyrm/ÁGUA/Nível 8/ATK 2000/DEF 2000).



Por ser sempre considerado como Umi (oceano) enquanto está no campo isso permite que suas armadilhas Fantasma espiral se ativem na mão.
Por ter a restrição de que você não pode invocar monstro de efeito no turno que é ativada os monstros do deck serão somente os monstros normais além de que se um monstro normal for invocado por invocação normal ou especial você pode adicionar uma carta “Fantasma Espiral”.


O último efeito que permite invocar um Token no seu campo caso seu oponente ative ou use um efeito de carta é isso também permitirá que você busque outra carta “Fantasma Espiral “ do deck caso ainda não tenha buscado porque esse efeito é uma vez por turno, se seu oponente ativar um efeito que destrua os monstros do seu campo como a carta Tributo Torrencial após isso seu campo irar ativar e invocara outro Token no seu campo pois o efeito de invocar o token só checara seu campo após o efeito do oponente se resolver ou tentar se ativar.



Se todos os monstros que você controla forem Monstros Normais (mín. 1): escolha 1 card que seu oponente controla; destrua-o. Se "Umi" estiver no campo, você pode ativar este card da sua mão. Você pode banir este card do seu Cemitério e, depois, escolher 1 Monstro Normal que você controla; equipe esse Monstro Normal com todos os Cards de Magia de Equipamento "Fantasma Espiral" que você controla que podem ser equipados a ele.                        








Podendo ser ativada da mão enquanto você controla o campo Umi ( nesse caso o campo Pacifis, a Cidade Fantasma servirá para cumprir essa condição ) e se seus monstros forem todos normais nesse caso o token do campo também serve, essas são as condições para ativar e como o campo facilita todo isso. Ela permite dar alvo em uma carta e destruir é bem simples essa carta serve pra destruir cartas chaves do oponente das quais ele precisaria que tivesse no campo.









Se todos os monstros que você controla forem Monstros Normais (mín. 1): escolha 1 Monstro de Efeito que seu oponente controla; até o final deste turno, ele perde 1000 de ATK e DEF e, além disso, ele tem seus efeitos negados. Se "Umi" estiver no campo, você pode ativar este card da sua mão. Você pode banir este card do seu Cemitério e, depois, escolher 1 Monstro Normal que você controla; equipe 1 Cards de Magia de Equipamento "Fantasma Espiral" da sua mão ou do Cemitério nesse Monstro Normal.





  
Tem as mesmas condições de ativação da  Batalha Fantasma Espiral então o que vale pra ativar a Batalha Fantasma Espiral tambem vale pra essa. Ela é praticamente similar a Impermanência Infinita nesse deck com a diferença que pode ser ativada diretamente da sua mão antes do cálculo de dano por causa do efeito de reduzir ATK e DEF em 1000 podendo servir tanto para parar os combos do oponente negando os efeito como uma carta pra enfraquecer os monstros e destruí-los na batalha.

Essa foram as melhores cartas na minha opinião para o deck que pertencem ao arquétipo os equipamentos tem efeitos bem simples sendo a carta “Aperto Fantasma Espiral” a melhorzinha por ser a única que aumenta ATK do monstro equipado e causar 1000 de dano ao oponente se invocar o Dragão Fantasma Espiral. O próprio Dragão Fantasma Espiral se torna um desperdício nesse deck pois se vier na mão ele se torna uma carta morta.

Cartas recomendadas para ajudar o deck





   




















A escavar fossil serve somente para buscar o Megalosmasher X fazendo assim você ter um acesso facil a um monstro normal de level 4 com 2000 de ATK
























Assim como o primeiro exemplo essa combinação de cartas faz com que você tenha acesso facil a um monstro normal com 2000 de ATK a diferença desse é que ele usa a carta magica rápida no turno do oponente para invocar o monstro diretamente do deck em defesa e na fase final ele vai pra sua mão garantindo que você busque uma carta “Fantasma Espiral” por causa do campo e que tenha um monstro normal para ser invocado no seu próximo turno.

Floodgate: Esse termo é um termo não oficial pela Konami mas os jogadores usam para classificar cartas que bloqueiam as ações de ambos os jogadores e esse deck praticamente pode utilizar várias delas sem se prejudicar, alguns exemplos abaixo:






  

Essa carta são alguns exemplo de cartas que Floodgate que podem ser utilizadas nessa deck a “Gozen Match” permitirá que se controle só um atributo mas o Token e o Megalosmasher X são de atributo água, “Summon Limit” não permitirá que nenhum dos duelistas faça mais do que 2 invocações no turno mais no seu turno e no do oponente o máximo que você irar fazer é invocar um monstro normal e depois um Token pelo campo. “Lose 1 Turn” faz com que todos os monstros percam seus efeitos e monstro que foram special summon e que sejam de efeitos eles são mudados pra defesa e como seus monstros serão sempre normais essa carta não vai te afetar. “Macro Cosmos” mesmo que limitada ainda é uma carta muito forte contra decks que precisam de cemitério para jogar como nesse deck cartas banidas ou no cemitério essa carta se torna muito forte nesse deck.



Quando este card for ativado: você pode ativar 1 "Umi" da sua mão ou do Cemitério. Enquanto "Umi" estiver no campo, este card com a face para cima ganha estes efeitos.
● Uma vez por turno: você pode banir 1 monstro de ÁGUA que você controla até a Fase Final; neste turno, Magias/Armadilhas com a face para cima que você controla não podem ser destruídas por efeitos de card do seu oponente (mesmo que este card deixe o campo).
● No começo da Etapa de Dano, se um monstro de ÁGUA seu cujo Nível original seja 5 ou mais batalhar um monstro do oponente: destrua o monstro do oponente.



Quanto ativado você pode ativar o campo Pacifis, a Cidade Fantasma diretamente do cemitério caso seu oponente tenha destruído ela além disso os efeitos dessa armadilha servem para proteger seu campo e suas floodgates lembrando que você pode banir o token como custo pra esse efeito só que na fase final ele não retorna para o campo. O segundo efeito serve para destruir um monstro batalhando com o token já que o token é um monstro de atributo Água de level 8 lembrando que ele destruí no começo da etapa de dano nesse caso não ocorre replay do ataque do token.



5° Draw power: Por ter mais magicas e armadilhas e somente o campo de search cartas que auxiliam nos saques também entram no deck e por não fazer muitas invocações especiais e nem precisar manter cartas na mão é possível utilizar “Pote da Dualidade” e “Despedida Final” sem se preocupar com as partes negativas das cartas.









Pontos fortes do deck
- Alto controle começando primeiro no duelo
- Versátil quanto ao uso de floodgates no deck podendo se adaptar para utilizar várias sem perder poder
- Mesmo sem o oponente ativar efeitos você só precisa de 1 monstro normal para buscar a carta
- Por não precisar usar o extra deck esse deck pode facilmente usar 15 alvos para a Ceifador Fantasma & Cerejas de Inverno e não perder força

Pontos fracos do deck
- Fraco começando o duelo em segundo e não consegue jogar muito bem caso o oponente já deixe preparado cartas que destroem magicas e armadilhas.
- Precisa muito ter o campo Pacifis, a Cidade Fantasma em jogo o que pode ser um problema já que as cartas Transformação Campal e Metaverso estão limitadas
- Caso seu oponente invoque um monstro que não pode ser alvo de efeitos ou destruído por efeitos pode ser difícil de remover ele do campo sem as cartas corretas

Exemplo de decklist do arquétipo “Fantasma Espiral”






Espero que tenham gostado, e semana que vem tem mais.
Abraços, Matheus Martins de Almeida - Team Arena (Yu-Gi-Oh!)




segunda-feira, 29 de julho de 2019

Crusadia Guardragon Post Banlist : Um Combo inteiro feito a partir de Duas cartas?

Anderson Potye
Team Arena (Yu-Gi-Oh)

Hoje explicaremos um pouco sobre deck Crusadia Guardragon e também como fazer um combo a partir de duas cartas apenas, este deck é bem versátil pelo fato de além de fornecer um controle impecável do campo, tem força bruta o suficiente para Vencer o Duelo em um turno Dando um OTK (One Turn Kill)



Resultado de imagem para crusadia Guardragon

As cartas Crusadia, num geral quase todo o arquétipo veio na coleção Cybernetic Horizon, vindo após esta, a Spatha na coleção Soul Fusion, seguinte a Cybernetic, e por fim os Guardragon Nos quais vieram na coleção Savage Strike.

Agora, Explicaremos o combo de Crusadia Guardragon, mas primeiramente mostraremos a Decklist que utilizamos para tal, para que no decorrer do combo, expliquemos o por que de utilizar tal carta e a sua quantidade.


Agora mostraremos como é o combo na pratica


Iniciamos com essas cartas na mão, as cartas que fazem o combo inteiro são apenas o Rescue Cat e o Rescue Ferret, Terraforming é para buscar a Margem Kyoutou e assim utilizar o Gameciel, the Sea Turtle Kaiju para negar os efeitos de cards que seu oponente ativar e banir essas cartas, as Called by the Grave são para evitar situações indesejáveis como levar uma Ash Blossom sobre o efeito de seu Rescue Cat, o que deixaria seu campo vazio... então vamos mostrar agora como será feito a estratégia


De início, ativamos a Terraforming para buscar a Margem Kyoutou, e com isso faz-se a normal summon do Rescue Cat, após isso você utilizara o efeito dele de se enviar para o cemitério e invocar dois monstros tipo besta do deck, sendo estes de nível 3 ou menor, com efeitos negados e que serão destruídos na end phase, o que traremos são dois Crusadia Leonis, para começarmos o combo a partir daí.


A partir daqui, usamos um dos Crusadia Leonis para fazer o primeiro Crusadia Magius, e em seguida o outro para jogar o segundo Crusadia Leonis para a invocação do outro Crusadia Magius, onde o primeiro aponta, assim ativando o efeito do primeiro, permitindo a você buscar um monstro Crusadia de seu deck a sua mão, sendo este que adicionaremos o Crusadia Draco.


Nesse momento, faremos a Crusadia Spatha, utilizando os dois Crusadia Magius,  e após isso utilizaremos o efeito da Margem Kyoutou, já adicionando o Gameciel, the Sea Turtle Kaiju para mão, pois a essa hora ja teremos mais de 3 contadores, possibilitando que adicionemos ele, considerando que seu efeito de buscar um monstro Kaiju uma vez por turno só pode ser ativado se tivermos 3 ou mais contadores.


Detalhe importante, todos os monstros Crusadia de main deck, uma vez por turno se invocam por invocação especial onde um link aponta, com isso fazemos a invocação especial do Crusadia Draco onde a Crusadia Spatha aponta, e utilizaremos apenas o efeito dele, tendo em mente que é bom recuperarmos um Crusadia Magius caso precisemos mudar a estratégia e partir para o modo beatdown se estivermos com o campo vazio e com pelo menos dois monstros Crusadia em mãos.


Com isso, faremos o primeiro Guardragon nesse combo, o Guardragon Elpy, este que tem o efeito de invocar por invocação special um monstro dragão de sua mão ou deck para o campo.

Com o Guardragon Elpy em campo, usaremos o efeito dele para invocar o Red-Eyes Darkness Metal Dragon do deck para o campo, e com ele invocar do cemitério o Crusadia Draco
(Detalhe, se seu oponente tiver uma handtrap, ele provavelmente dará na hora que você for utilizar o efeito do Guardragon Elpy, portanto, esteja atento se tiver com a Called by the Grave, essa sera uma ótima hora para usa-lá, a menos que ele utilize a Infinite Impermanence, que ai, só com Red Reboot para negar, mas quase não utiliza-se ela no main deck, nesse caso, o turno acabaria ai, e você estaria restrito a invocar apenas dragões devido ao elpy.)


Agora, com utilizaremos os 4 monstros que temos em campo para fazer a link summon do primeiro Saryuja Skull Dread.


Com o efeito do Saryuja Skull Dread, quando o invocamos utilizando 4 monstros como materiais, ele nos permite sacar 4 cartas e após voltamos 3 cartas da mão para o fundo do deck e escolhemos a ordem.


Após retornarmos as 3 cartas para o fundo do deck utilizaremos o efeito do Saryuja Skull Dread para Invocarmos o Rescue Ferret para o campo por invocação Especial.


Em seguida utilizaremos o efeito do Rescue Ferret para trazermos até 3 monstros do nosso deck para o campo( pois essa é a quantidade de zonas que o Saryuja Skull Dread aponta para o nosso campo), porém a soma do nível dos monstros tem que ser exatamente 6, sendo assim invocamos o Omni Dragon Brotaur, O Valerifawn (tuner level 2 besta e atributo terra), e mais um Crusadia Leonis, porém você deve ter cuidado ao escolher as zonas, pois para continuar o combo dos Guardragon você ainda terá que ter duas setas link apontando para uma mesma zona, sendo assim é recomendável você invocar os 3 monstros nessa sequência, onde o Omni Dragon ficara na zona da esquerda para invocar após a invocação do Naturia Beast na zona da direita que o Saryuja aponta, façamos o Guardragon Pisty na zona da esquerda, assim a zona que o Saryuja e o Pisty apontam levara a uma zona em comum assim permitindo a invocação e um dragão que esteja em seu cemitério ou banido.




Com isso o campo ficará dessa maneira e você trará o Red-Eyes Darkness Metal Dragon do cemitério e com o efeito do Red-Eyes você trará o Omni Dragon Brotaur.


Ao invocar o Omni Dragon por invocação especial você poderá utilizar o efeito dele que permite você dar alvo em um monstro que você controla, descartar uma carta, para adicionar um monstro cujo tipo e atributo sejam iguais aos da carta que você deu alvo primeiramente. Considerando que você de alvo no próprio Omni Dragon ou em um dragão de atributo Dark, nesse caso temos como escolha o Black Dragon Collapserpent, e o Chaos Dragon Levianeer, como já temos o Collapserpent, adicionaremos o Levianeer para a mão.
Utilizando o Red-eyes e o Saryuja para link 2 traremos o Guardragon Agarpain do para o campo e também invocar o Collapserpent que tem como condição de invocação banir um monstro de atributo Light do seu cemitério, preparando assim material para o segundo Saryuja


Com o efeito do Agarpain, invocaremos por invocação especial o Hot Red Dragon Archfiend Abyss, e após isso faremos o segundo Saryuja utilizando o Guardragon Pisty, Guardragon AgarpainOmni Dragon Brotaur, e o Black Dragon Collapserpent como materiais, quando invocarmos o Saryuja por link, ativaremos o efeito do Saryuja de sacar 4 cartas e voltar 3 da sua mão para o deck em Chain Link 1 e o efeito do Black Dragon Collapserpent como Chain Link 2, assim adicionaremos o White Dragon Wyvebuster e em seguida sacaremos as 4 cartas e voltaremos 3 para o fundo do deck, após isso utilizaremos o efeito do Saryuja para invocar o Gameciel para o nosso campo por invocação especial, e em seguida invocar o Wyvebuster banindo um monstro de atributo Dark do cemitério.



Agora, temos um campo com pelo menos 3 negações especificas com o Gameciel e o Hot Red Dragon Archfiend Abyss e diversas negações para spell cards com o Naturia Beast, porém da para deixar o campo ainda mais completo. utilizando o Saryuja e o White Dragon Wyvebuster faremos o link 2 Hieratic Seal of Celestial Spheres, que tem como efeito durante o turno do oponente tributar um monstro de sua mão ou campo para voltar uma carta do seu oponente para a mão, detalhe se você tributar ele próprio você pode invocar um monstro dragão por invocação especial do seu deck para o campo, que o melhor alvo é o Amorphage Goliath, no qual este não permite invocações do deck adicional exceto para monstros Amorphage, dando um lockdown praticamente perfeito no seu oponente, e para finalizar seu campo invocar o Chaos Dragon Levianeer banindo apenas monstros Dark para poder ativar seu segundo efeito que você embaralha uma carta aleatória da mão de seu oponente no deck.





Bom, esse é o resultado do combo: De forma resumida, diversas negações, e ainda você pode retornar uma carta que ele colocar no campo de volta para a mão dele, e ainda ele começa o jogo com uma carta a menos. O deck é competitivo no meta? sim, porém, tem um problema em relação a consistência, pois dependendo do brick no primeiro turno, meio que o jogo já estará decidido, a menos que se tenha excelentes saques nos seus próximos turnos se você tiver eles, porém caso você faça o combo inteiro, as chances de seu oponente se sobressair a esse campo é quase nula considerando que você vai ter um controle impecável do campo, a menos que seu oponente tenha a esfera de rá para tributar 3 monstros seus e jogar ela no seu lado do campo ele não conseguirá se livrar de tantas negações.

Até a Próxima e Abraços,  Anderson Potye - Team Arena (Yu-Gi-Oh!)