sexta-feira, 18 de maio de 2018

Nos Mínimos Detalhes 2

Por Danilo Kanno

E aí pessoal que acompanha o blog da Liga Arena, tudo certo com vocês? Faz tempo que eu não escrevo por aqui, mas resolvi escrever alguns artigos sobre alguns temas que me perguntam muito nos torneios em que eu sou juiz - desde temas muuuito simples até temas mais complicadinhos, porque eu acho que isso facilita a vida de todo mundo. O tema do artigo de hoje é conjurar mágicas e ativar habilidades, então RODA A VINHETA!

OBS: seria bom vocês darem uma olhadinha nesse artigo aqui mais pra vocês se habituarem com alguns termos que eu falar como “SBAs”.

Bom, eu já atendi várias judge calls em torneios competitivos porque algum jogador (esperando que o seu oponente fosse punido por isso) queria atentar ao fato de que o oponente havia jogado a mágica, anunciado tudo e depois pago ativado o Deathrite Shaman e coisas do gênero (WARD nesse exemplo, eu volto nele depois) e eu percebi que a dúvida frequente é se quando é que se deve pagar os custos e esses detalhezinhos que muitas vezes a gente não para pra pensar na correria do bolt na sua cara. Eu vou começar com uma pergunta intrigante: se eu controlo APENAS: duas florestas em campo, um Omnath, Locus of Mana e eu estou conjurando Life’s Legacy. Quantas cartas eu vou comprar?

  Omnath, Locus de Mana  
Fonte: Wizards of the Coast
Legado da Vida
Fonte: Wizards of the Coast
A resposta disso envolve um processo que é muito mais orgânico que parece mas segue um método muito claro que é o processo de Conjurar Mágicas que está disposto nas regras 601 do CR (o processo de ativar habilidades é essencialmente o mesmo e se encontra na seção 602 do CR). Conjurar uma mágica é um processo que envolve 3 partes. Propor uma mágica, definir os custos e por fim pagar os custos. A parte da proposição funciona da seguinte maneira:



  1. O jogador que deseja propor a mágica move a carta (ou uma cópia dela se for o caso) de onde estiver para a pilha.*
  2. Todas as escolhas envolvendo intenções de pagar custos adicionais (kicker, buyback, etc), valores de X, modos, se o player vai pagar mana phyrexiana com vida, etc são feitas nessa parte.
  3. O jogador escolhe os objetos que serão alvo da sua spell, se necessário.

Essas três etapas são parte da proposição de uma mágica. Se algum desses processos tiver algum probleminha essa mágica não vai ser conjurada e o jogo volta para o último estado legal (ver regra 720 Lidando com Ações Ilegais). O * que eu coloquei naquela parte é pra mostrar uma dúvida que muita gente me pergunta que é: meu oponente fez o flashback de Lingering Souls, não tem como eu exilar a Lingering Souls com meu Scavenging Ooze e ele não conseguir conjurar? A resposta é: a Lingering Souls não está mais no cemitério, ela está na pilha.

Uma vez que a mágica está proposta, é hora de definir o custo. O custo normalmente é apenas o custo de mana, mas algumas vezes as mágicas ou o board têm alterações nos custos (Vide Fireball ou Thalia, Guardian of Thraben). Nesse momento o custo total é definido e ele não muda depois disso! A ordem que as alterações de custo ocorrem é: primeiro vêm as adições, depois as reduções e por último o efeito da Trinisphere (porque ela fala do custo total). Essa etapa é muito interessante e pode ser tema de um próximo artigo só falando sobre custos. Uma vez que o custo é definido NADA muda ele. Então por exemplo, se eu anuncio Altar’s Reap como mágica e só tenho Thunderscape Familiar no campo, até o momento, eu já sei que o custo de mana da minha mágica vai ser apenas B, mesmo que eventualmente eu tenha que sacrificá-lo. Uma observação importante é que a mecânica de Delve é apenas um jeito de pagar os custos, quando você exila cartas você não está reduzindo o custo, você está pagando o custo.

Agora chegamos nos finalmente em que você vai pagar os custos. Nesse momento os jogadores têm a oportunidade de ativar habilidades de mana e essas habilidades de mana têm que ser ativadas antes dos custos serem pagos. Os custos podem ser pagos em qualquer ordem, mas nunca parcialmente. Uma vez que tudo isso foi feito a sua mágica passa para o estado de conjurada (isso não significa que ela vai resolver). 

Agora, pensando nessa última etapa e na pergunta que eu fiz inicialmente sobre o Omnath. Eu disse que os custos podem ser pagos em qualquer ordem! Então, como você precisa pagar mana para o Life’s Legacy, na etapa de utilizar habilidades de mana eu gerei GG com as minhas florestas e assim o omnath está 3/3. Se eu escolher pagar primeiro mana e depois o custo de sacrificar, eu vou comprar apenas 1 carta. Do contrário, se eu escolher primeiro sacrificar o Omnath e em seguida pagar 1G, a última informação que o jogo tem sobre o meu Omnath é 3/3 e portanto eu compro 3 cartas. Isso mostra que como nós pagamos os custos é sim relevante no processo de conjurar spells e às vezes em como será a resolução da nossa spell. 

Só reforçando sobre como o pagamento dos custos é feito, aqui é possível esclarecer o que acontece se eu tiver no campo um Ashnod’s Altar, 3 florestas e 4 criaturas e quiser conjurar Chord of Calling. Qual é o máximo valor de X que eu consigo nessa configuração?

Ashnod's Altar
Fonte: Wizards of the Coast
A resposta é X=8, o importante de notar aqui é que não existe maneira de virar as criaturas para convocar e então sacrificá-las para gerar mana. Eu disse que as habilidades de mana devem ser ativadas antes de pagar os custos! Se eu estiver virando minhas criaturas é porque eu já estou pagando os custos, se eu sacrificar elas pra usar a mana gerada pelo altar, elas já não estarão mais em campo para serem viradas!

Sobre habilidades de mana, vou voltar no meu exemplo logo do comecinho do texto que envolve a habilidade do Deathrite Shaman (DRS) só pra constar que a primeira habilidade dele não é uma habilidade de mana e portanto o oponente que implica com isso está “certo”. Tecnicamente não se pode ativar a habilidade do DRS como uma habilidade de mana porque ela dá alvo e portanto pode falhar mas o que acontece nessa situação em termos práticos é um mínimo rollback e o jogador vai ativar a habilidade do DRS e então conjurar a spell do mesmo jeito.



NOTA: Um fato importante sobre todo esse processo que eu falei é que nenhum jogador recebe a prioridade durante tudo isso, então isso responde também àquela frequente pergunta se não dá pra exilar o cemitério do seu oponente enquanto ele está pagando o delve do Tasigur.

Xamã do Ritual Mortfífero
Fonte: Wizards of the Coast
O artigo ficou beem longo mas aqui vai um último exemplo bem legal (e bem plausível) pra vocês pensarem! Vamos supor que eu estou numa partida legacy jogando contra você. Eu de Burn e você de UB Shadow, eu só controlo montanhas básicas e você controla uma ilha básica, um pântano básico e uma Wasteland e tem 2 de vida. Se eu conjurar Price of Progress você morre? 

Pensem um pouco, revejam o processo e se estiverem curiosos pra saber a resposta podem me procurar no Facebook, Whatsapp ou qualquer hora a gente se esbarra na Liga Arena. Bons jogos pessoal! Vejo vocês por aí.

Nenhum comentário:

Postar um comentário