quinta-feira, 20 de julho de 2017

Standard - Pós Hora Da Devastação

Fala galera que siga a Liga Arena, beleza????

Bom, como vocês devem estar esperando, a Equipe da Liga Arena ainda não fez um artigo sobre o formato Padrão com a entrada de Hora da Devastação, e o motivo é simples, eu acabei esperando o primeiro SCG Open passar para poder falar, claro, assim também podia proteger meus sonhos mais loucos de 5 Color Control (que eu falei por várias vezes na loja que ia ver jogo), e assim poder falar de verdade o que eu achava que ia rolar, e o que eu achava que ia MELHORAR.

A respeito do que eu acreditava que ia ser visto de volta era o famigerado UW Monument, é isso mesmo, o deck já tinha aparecido na semana depois do banimento do Aetherworks Marvel, mas agora deveria aparecer com força total, afinal de contas, é um deck Tempo muito agressivo, que ganha tem um fim de jogo excelente com Dusk // Dawn. Também esperava ver Temur, em suas versões Emerge e Energy/Aggro, e provavelmente alguma sobra de BG Energy, mas já não esperava muito isso não.

O que eu esperava ver de novo??? Bom, como eu falei, eu sinceramente acho que vai aparecer uma lista de 5-Color Control, talvez seja boa, talvez seja ruim, mas acho que tem espaço para acontecer, não é a toa que um “4-Color Control” ganhou! :P (brincadeira!!!), também esperava ver as interações de cartas com Eternalize em listas Temur Emerge, vide Champion of Wits, e algumas outras cartas que eu sabia que tinham potenciais para aparecer, como Supreme Will, que sinceramente, é uma das minhas cartas favoritas da edição.

O que então fica mais forte com Hora da Devastação????

Sinceramente? Não muita coisa, alguns decks ganharam algumas cartas novas, mas nada que fosse significante para mudar completamente como o deck se posicionava, Ammit Eternal é um Zumbi bacana por 3 manas, mas difícil competir com Diregraf Colossos, assim como Dreamstealer não é o melhor drop 3 para o BG, quando você pode fazer Rishkar, Peema Renegade e TirelessTracker.

É claro que o UR Control ganha uma arma sensacional na forma de Hora da Desvatação, que consegue resolver um board complicado com Planeswalkers resolvidos do outro lado, e um outro pseudo contra mágica, em Supreme Will, como eu falei, um carta muito forte que combina Mana Leak e Impulse (saudades!)

O que surge de novo (de novo)???

Emerge e Control. Isso mesmo. Emerge e Control.

Se tinha uma cola que faltava para Emerge virar tier 1 era uma forma de comprar cards no late game e conseguir ainda assim ativar os Prized Amalgam era o Champion of Wits, essa carta simplesmente faz tudo que o deck precisa, compra cartas, descarta Kozilek’s Return e as criaturas que voltam, no late game entra no jogo vindo do cemitério, compra mais carta, descarta o irrelevante ou o excesso e tem um corpo melhor ainda, sem contar que fazê-lo no turno 3 significa ainda poder fazer Elder Deep Fiend no turno 4, pois é, tudo que o deck realmente precisava. Nota 10 para essa carta que ainda está baratinha! <3

E Control, pois é, os jogos da Final do SCG Open Cincinnati não foi o jogo mais normal da história para o UW Monument, nem para o Control, de um lado tinha Dusk para nada, para tentar voltar as criaturas no turno seguinte, e isso deu certo TRÊS VEZES !!!!!!!!, e do outro, um control que não usava nem 4, nem 3, nem 2, Torrential Gearhulk, usava apenas 1, isso mesmo, UM!, e uma build totalmente não convencional usando Dovin Baan, que ainda que estranho, fez Double Duty eliminando Selfless Spirit, já que a lista usava Fumigate para ganhar vida, ao invés de Hora da Desvatação que causaria dano nos planeswalkers como o já mencionado Dovin; Jace Unraveler of Secrets e Nahiri, the Harbinger. O deck ainda tinha uma cópia de Nicol Bolas, God-Pharoh como a única carta “preta”.

A lista 5 Color Planeswalker do Todd Stevens nada mais é do que uma lista de Temur Energy com 4 Oath of Nissa e alguns planeswalkers off-color, como Nahiri e Nicol Bolas, acabou não fazendo top8, mas conseguiu chegar num top64 (35º).

O que surge de novo, e para muito tinha deixado saudade?

RDW. RED. DECK. WINS.

Talvez não na sua versão mais agressiva, talvez não na sua versão mais eficaz, mas uma versão muito boa ainda assim. O deck utilizava nada menos do que 9 desertos, sendo que 5 deles não adicionavam mana vermelha, mas todos os 9 permitiam cartas como Thought-Knot Seer e Reality Smasher, isso mesmo, dois Eldrazis corpudos fazendo aparição num deck vermelho.

Para mim, a cola desse deck é o deserto Ramunap Ruins, e a interação de conseguir levar o oponente de 5 de vida, a 0 com Sunscorched Desert, pois é, tem até ele explicando isso na deck tech dele com o Nick Miller (https://www.youtube.com/watch?v=hfHiWXqKuPY )
Também vale falar da outra carta de Eternalizar que entrou no deck. Earthshaker Khenra, além de ter ímpeto, ainda consegue potencialmente tirar um bloqueador, tanto no começo do jogo, como no final. Parabéns para essas cartas com Eternalizar!!!!

Uma última coisa para falar é sobre o Mardu. É Mardu.

A lista do Mardu permanece praticamente igual. Algumas listas começaram a usar Glorybringer, simplesmente porque né, Glorybringer é absurdo!, e houve também a adição de Abrade e/ou Cut // Ribbons em algumas listas.
É interessante dizer que Abrade é uma arma absurda contra Mardu, ela consegue matar praticamente todas as criaturas do deck, e ainda consegue se livrar dos carrinhos, mas ainda assim, haviam 2 Mardu no top16, e um terceiro em 18º. Parece que Gideon e seus veículos ainda vão dar algum trabalho.

O que eu acho que vai ser daqui para frente, e o que você amiguinho pode tentar usar no CLM ....

Control, sim, control, eu sou apaixonado por build com counters e draw, amo fazer o estilo Draw-Go, e se você assim como eu, acha isso sensacional, prepara-se, tenho certeza que em algum canto do Japão, Shoota Yasuoka está nesse momento fazendo um Brew sensacional de Grixis, afinal de contas, ele já ganhou um Pro Tour (Kaladesh) de Grixis, porque não tentar de novo ????? Não acho que a base é esse 4 Color estranho que ganhou, acho que 3 Gearhulks ou 4 sejam o convencional, existem counters bons e draws efetivos no formato, bons sweepers e ótimos planeswalkers, basta achar a combinação certa.

Aggro, acho que o Aggro do formato ainda está nas mãos do Mardu. O deck é explosivo o suficiente para continuar alcançando o topo, e o sideboard desse deck é uma transformação e tanto.

Combo?!?! Bom, não falando das listas malucas do Tulio Laudy no Magic Online, mas sim de Temur ou 4 Color Emerge, o deck está melhor do que nunca, e com certeza o acesso a várias cores permite um sideboard para combater qualquer ameaça.

Midrange, Bg. Apesar de não gostar do deck, e achar que ele perdeu muita força, simplesmente porque os outros decks são melhores, ele ainda é o rei dos midranges do formato.

Go-Wide, parece que isso fica como uma determinação nova, mas acho que precisávamos cria-la para o UW Monument, o acesso a criaturas baratas com ótimo valor, o custo reduzido com Oketra’s Monument e acesso a pequenas interações que seu oponente pode estar despreparado, como virar as pistas e fazer um Metallic Rebuke pagando apenas 1 mana azul, mantém esse deck com uma abordagem bem diferente do que estávamos vendo no formato, principalmente porque os 2-card Combos não permitiam isso. Vide formato pré ban de Gato + Saheeli e Aetherworks + Ulamog/Emrakul.

E ahhhhhhhhhh tem uma última coisa para falar antes de terminar esse praticamente interminável artigo....

Rg Ramp, é isso mesmo coleguinha, é a lista que eu vou deixar aqui para vocês verem :

G/R Ramp por Michael McClure – 37º Lugar

Abrade
Sideboard



Qual a ideia disso? Fazer Ulamog, The CeaselessHunger tão rápido quanto turno 6! É, isso mesmo. Hora da Promessa deixa você buscar 2 terrenos quaisquer no deck, e se você é um cara de sorte, e conseguiu fazer essa mágica nova no turno 5, já com 1 ou 2 Shrine of the Forsaken Gods, parabéns !!!! Aetherworks foi embora, mas os Eldrazi, ainda não !!!!!!!

Para quem vai no CLM, boa sorte e nos vemos por lá !!!! :D

Para quem não vai, torce para Equipe Liga Arena, que vai jogar TODOS os formatos !!!!!!!!! <3 

Nenhum comentário:

Postar um comentário