terça-feira, 27 de junho de 2017

Combei... OK? 3.0


BOMMM DIIIAAAA VIIIEETINÃÃÃ!!! Estou de volta com a Coluna Trincheiras do Commander e dando continuidade aos amados e odiados combos volto com a série Combei... OK?  e mais uma vez trago alguns combos que são amados por uns e odiados por outros, e claro para o formato Commander Multplayer, e dessa vez vou falar de combos de dano infinito.

Caso não tenham visto as outras partes:


Não sei se vocês reparam mas nessa série de combos venho buscando colocar pelo menos um combo com cartas de Amonkhet em cada parte, e o de hoje não poderia ser diferente, por isso começamos por um combo simples e baratinho...

+
+

    

Para essa receita só precisamos ter em campo Deserto Abrasado pelo Sol, ter Reviver Cadaver, e fazer com que Dragão Engole Mundos vá para o cemitério.
Com esse cenário pronto, é só conjurar Reviver Cadaver dando como alvo Dragão Engole Mundos, quando Dragão entrar no campo de batalha, ele vai exilar todas as suas permanentes, inclusive os terrenos, restando apenas ele na mesa, porem Reviver cadáver diz: “ Se Reviver cadáver for removida, enterre a criatura no cemitério de seu dono”,  logo sem o Reviver cadáver o nosso dragão vai morrer, fazendo que todas as suas permanentes retornem ao campo, nesse ponto você faz com que Deserto Abrasado pelo sol de 1 de dano em um oponente,  e colocar a habilidade de reviver cadáver na pilha, depois  de resolver o 1 de dano do Deserto, dar alvo no Dragão, e continuar o processo, lembre-se apenas de se certificar que há qualquer outra criatura no seu cemitério, ou cemitério de um oponente, para poder parar o combo e você não morrer para ele.

+
+



Esse combo é bem simples, Basta ter em campo Alquimista de Aphetto, e equipar Braceletes do Ilusionista, agora é só virar Feiticeiro Pródigo para causar 1 de dano no oponente, depois é só ativar a habilidade de Alquimista de Aphetto, “vire: desvire o artefato ou criatura alvo”, e assim vai desencadear a habilidade do Bracelete do Ilusionista, “toda vez que uma habilidade da criatura equipada for ativada, copie aquela habilidade se não for uma habilidade de mana, e você pode escolher novos alvos”. E assim desvirar Feiticeiro Pródigo, e Alquimista de Aphetto, e continuar com o processo até que não haja mais hoponentes

+
+



Esse é um combo de uma combinação de cores e cartas inusitados  por isso escolhi ele; e funciona assim:
Você precisa de algo na mesa que de ímpeto para as suas criaturas, o que é bem fácil no verde e no vermelho, agora você coloca Arcanista de Elite no campo, e exila da sua mão Tática dos Talassidios, depois com Druida Zhur-Taa em campo você vira, e gera uma mana verde, e causa 1 ponto de dano em cada oponente, agora com essa mana você ativa habilidade do Arcanista de Elite que diz “pague X, vire: copie, o card exilado. Voce pode conjurar a cópia sem pagar o seu custo de mana; X é o custo de mana convertido do card exilado” assim você conjura Táticas dos Talassidos, e dê alvo no Arcanista e Druida, para que eles ganhem +0/+3 e desvirem, ai é só continuar o processo até que não haja mais oponentes

+
+



Como já virou tradição, não poderia faltar um combo apenas com artefatos, escolho sempre um combo só de artefatos, pois eles podem ser usados em qualquer deck, sem restrição de cor.
Esse é um combo com um ciclo bem legal e sinérgico entre as estações, e para a receita de hoje precisamos apenas de Uma Treliça Micossintetizadora, Estação de Detonação, e de Estação de Invocação, com as 3 peças em campo basta virar Estação de Invocação, e criar uma ficha de criatura 2/2, incolor do  tipo Pincher, por causa da treliça ele será artefato, assim como todas permanentes em campo, agora é só virar estação de detonação, sacrificar o nosso amiguinho feioso, para causar 01 ponto de dano no jogador, quando a Ficha for colocada no cemitério ela vai desencadear a habilidade da Estação de Invocação, fazendo com que ela desvire, agora é só virar ela para produzir outro feiosinho (Pincher), e quando ele entrar em campo vai desencadear a habilidade de desvirar de , Estação de Detonação, então é só repetir o processo.

Agora vou falar de alguns combos bem clássicos.

+



Nesse você só precisa de Triskelion e de Mikaeus, o Maldito no campo de batalha, Trinskelion vai entrar com 3 marcadores+1/+1, agora você tira 1 marcador e causa 01 ponto de dano à um oponente, depois você tira um marcador, e causa 01 ponto de dano no próprio Triskelion, e tira o ultimo marcador e causa 01 ponto de dano no Triskelion novamente; Talvez você se pergunte por que causar dano no Triskelio 2X, já que ele é 1/1, e um ponto seria o suficiente? a resposta é simples, o Maldito do Mikaeus não só dá habilidade de imortal para as criaturas não humano, mas também dá +1/+1, logo o nosso Triskelion sem marcador nenhum, será 2/2, então quando você remover o 3º marcador e matar o Triskelion ele vai ativar habilidade de imortal, e retornar ao campo de batalha com seus 3 marcadores +1/+1 e um quarto marcador +1/+1 proveniente da habilidade imortal, agora é só tirar 2 marcadores para dar dano à um oponente, e depois mais 2 marcadores para causar dano no próprio Triskerion, fazendo com que ele morra sem nenhum marcador, para ativar o imortal novamente, agora é só repetir o processo.

+
  


Esse combo você precisa apenas dos 02 encantamentos no campo, e de alguma fonte que possa iniciar a perda de vida de um oponente, ou o seu ganho de vida, uma vez que Sangue delicioso faz com que toda vez que um oponente perde pontos de vida, você ganha aquela quantidade de pontos de vida, e Pacto de Sangue, faz o inverso, sempre que você ganha vida, o oponente alvo perde aquela quantidade, entrando em um ciclo sem fim.

E é claro que não podia faltar o amigão da vizinhança, e claro que eu não estou falando do Spider Man, embora ele tenha as mesmas cores.

Estou falando de Niv-Mizzet, the Firemind,

+



Com Niv-Mizzet na mesa, você o encanta com curiosidade, agora é só virar ele para comprar uma carta, e assim desencadear a sua habilidade de sempre que você compra uma carta, Niv-Mizzet, the Firemind causa 1 ponto de dano na criatura alvo ou jogador, assim ao causar dano desencadeia habilidade e curiosidade, onde sempre que a criatura encantada causa dano a um oponente você pode comprar uma carta, formando um ciclo, lembre-se apenas de parar antes de que seu grimório acabe, além disso é aconselhável que você use cartas no seu deck como Kozilek, Carniceiro da Verdade, ou Ulamog, o Vórtice Infinito, para que ao descartar você possa embaralhar seu cemitério ao grimório, caso não tenha você uma torre do relicário em campo, ou outra permanente que faça que você não tenha limite de cartas na mão, porém isso pode ser contornado com Desfazer do Dia.

Espero que tenham gostado dos combos de hoje e não se esqueçam...


quinta-feira, 22 de junho de 2017

Falando de Pauper



Olá meus amiguinhos aficcionados por magic, eu sou Cristiano Melo, vulgo "Pretiano" , e venho aqui aceitando a missão de falar de um formato, que de longe é um dos meus favoritos, o pauper!
conhecendo o pauper.

Para quem não  conhece, é o formato mais barato dentre todos os outros, composto apenas por cartas comuns de qualquer edição já impressa no Magic The Gathering, isso mesmo! qualquer edição, não rotacionando, como vemos no formato padrão (standard), onde com 300,00 reais você consegue montar um dos decks mais competitivos do formato, ou aproximadamente 40 tickets  se preferir Magic Online (MOL) mas objetivo aqui não é montar top decks competitivos, a não ser que você goste muito de competitividade, vou explicar o por que. O pauper é um formato muito divertido, com diversas temáticas e estereótipos de decks como por exemplo Mono U Delver  Control, Infect, Burn, Mono Black Control, Elfos, Goblins, Reanimate...etc, porém, um dos pontos mais importantes a serem considerados é a base de mana, não importa se o seu deck é tier 1...2..3...1000..se ele é mono color, duas cores ou cinco cores....o fato é que ele tem grandes possibilidades de "zicar" de mana ou de "floodar" (vir terrenos de menos ou de mais) ....isso mesmo, não existe uma mecânica funcional que corrija isso efetivamente no pauper, como as que existem nos outros formatos, o que o torna um formato mais equilibrado independente de qual deck você escolha jogar, por tanto,quando for montar seu deck, escolha o que você mais gostar e achar mais divertido!!
Como todo formato, o Pauper conta com uma lista de banidas pela Wizards Of The Coast, que são:

Cloud of Faeries

Cloudpost

Cranial Plating

Empty the Warrens

Frantic Search

Grapeshot

Invigorate

Peregrine Drake

Temporal Fissure

Treasure Cruise

Por tanto amiguinhos, essas cartas não podem ser usadas em campeonatos.

Uma observação, cuidado ao buscar listas na internet na hora de montar o seu deck "paper", há cartas que foram lançadas comuns no M.O.L. e no Magic Convencional ("paper") não são comuns, como por exemplo a carta" Death Spark" carta usada em algumas listas de Mono Red Goblins, no Magic Online ela é comum em 'MTGO Masters Edition II", já no Magic "paper" apenas contamos com copias incomuns, por tanto, não são validas fora do M.O.L., salvo quando o organizador do evento opta por usar a lista pauper do Magic Online, o que acho bem interessante por parte de alguns organizadores, mas mesmo assim vamos nos atentar amiguinhos, tomar game loss por carta inválida no deck não é muito divertido.

Se você é iniciante no Magic the Gathering, ou procura um formato mais barato que não rotacione sempre, tendo que sempre estar a atualizando o seu deck, venha para o mundo do pauper, aqui você vai encontrar muita diversão, diversidade de decks, ambiente equilibrado, top decks com valor acessivel e sem rotatividade.

Aqui me despeço amiguinhos, espero que ter ajudado vocês que queiram iniciar no mundo do pauper, um abraço do Pretiano , equipe L.A. 2017 "tamo junto!!"
até a proxima!!!....

terça-feira, 20 de junho de 2017

Trincheiras do Commander - Amonkhet Cartas Verdes

BOMMM DIIIAAAA VIIIEETINÃÃÃ!!! Boa Tarde Galera!!! estou de volta com a Coluna Trincheiras do Commander é dia de fugir dos campos de batalha, se levantar das Trincheiras e atravessar a Terra de Ninguém para contar à vocês o que encontrei  nas selvas do verde dentro  da Coleção de Amonkhet.

Caso não tenha visto a Primeira Parte:

Trincheiras do Commander - Amonkhet Cartas Brancas



Apesar de não ter uma grande velocidade, pode impulsionar Decks como Mayael, a Anima / Mayael the Anima, pois Campeã de Rhonas, é uma criatura com custo de 1 mana Verde e 3 Incolores, 3/3, com habilidade de Exaurir, quando ataca, e se você fizer isso poderá colocar no campo de batalha uma criatura da sua mão, e é ai que a magica acontece, pois é uma forma fácil e barata de colocar em campo aquele seu Ulamog, o Vórtice Infinito / Ulamog, the Infinite Gyre, ou quem sabe uma Iona,Escudo de Emeria / Iona, Shield of Emeria, Gisela, Espadachim dos Noite Dourada/ Gisela, Blade of Goldnight, ai é só usar a imaginação para aterrorizar os oponentes.




Acredito que Convergência dos Vormes-da-areia, apesar de ter um custo elevado 8 manas sendo 02 verdes, possa ter algum espaço em decks com muitos ramps e mana dorks, pois ao mesmo tempo em que ele diminui a evasão das criaturas dos oponente, uma vez que criaturas com voar, não podem atacar você ou um Planeswalker que você controla, ela ainda te dá uma ficha de criatura do tipo vorme 5/5, o que não é nada mal obter todo turno uma monstruosidade dessas sem pagar mais nada por isso.






É uma boa Forma de fazer ramp de terrenos, principalmente em decks como Freyalise, Llanowar's Fury, Rhys, o Redimido / Rhys the Redeemed, ou qualquer deck coloque muitas criaturas em campo e você possa virar elas sejam para atacar, gerar mana ou qualquer outro motivo, para poder buscar muitos terrenos e colocar em campo virado, acelerando muito o seu jogo no próximo turno.











Esse mutilador, vem ganhando espaço no side do standart e também pode ter seu espaço nos decks de Tool Box, como Meren of Clan Nel Toth, Yisan, o Bardo Andarilho / Yisan, the WandererBard, Karador, Ghost Chieftain, nosso amigo de chifres merece o seu destaque pois ele não só destrói um artefato quando entra no campo de batalha, mas também faz com que os artefatos dos oponentes entrem em campo virados, atrasando as ações dos oponentes.









Esse parece ser o melhor dos deuses de da coleção de Amonkhet, afinal é uma criatura que custa apenas 03 manas, tem toque mortífero e como todo deus, é  indestrutível, além disso a sua condição para poder atacar ou bloquear é a mais fácil de ser atingida, pois basta pagar 3 manas sendo uma delas verde e dar +2/0 para qualquer criatura, uma ficha com poder 02 que você já controle é o bastante, e assim o nosso Deus brilha exterminando qualquer criatura que ele possa bloquear, e quando ataca dificilmente será designado alguma criatura relevante para poder bloqueá-lo.






Esse gato cobra é uma ótima proteção na hora de conjurar o seu comandante, e evitar aquele counterspell, além de evitar esses counters em qualquer criatura relevante que você queira conjurar, ele tem outro ponto positivo, pois ele não pode ser anulado, ao contrario de outras criaturas que fazem esse tipo de função, como Arauto de Gaia, e Dosan, aFolha que Cai / Dosan the Falling Leaf.









Esse Vizir é sem duvida uma das melhores criaturas para decks do tipo Tool Box de criaturas, pois ele te permite olhar o topo do seu deck e se for uma criatura você pode conjurar essa criatura gastando mana de qualquer tipo, facilitando à corrigir problemas de falta de mana de uma cor especifica, ou seja, nesses decks nosso amigo lava, passa, cozinha e ainda te dá beijinho no fim do dia, pois enquanto houver uma criatura no topo do seu grimório e houver mana disponível você pode conjurar, e caso não seja, você ainda fica sabendo o que vem pela frente, pode interagir bem com Tampo de Adivinhação do Sensei / Sensei's Divining Top, e Oráculo de Mul Daya / Oracle of Mul Daya.




Bom galera fico por aqui, espero que tenham apreciado as sugestões, e não se esqueçam jamais...


quinta-feira, 15 de junho de 2017

Diário de Viagem: 9º RPTQ – Kyoto / Materlo News !

Aqui mais uma vez Julio De Biasi para falar de um dos formatos que eu mais tenho gostado nos últimos tempos, Limitado de Amonkhet

Bom, isso é bem mais um “o que aconteceu” do que um “Report” e/ou “mimimi” por não ter ficado no top8.

Antes de mais nada queria agradecer demais ao Marco Aurélio, parceiro de equipe por ter me acompanhado na viagem, e também participado no torneio, e principalmente pela conversa após o torneio, que me deixou bem tranquilo, ao invés de desapontado!

Domingo passado, 11/06, Marco Aurélio e eu, fomos jogar o RPTQ Kyoto, depois de muito tempo que classificamos, parecia uma eternidade para falar a verdade, e eu tinha me preparado bastante para esse torneio, jogando bastante Selado e Draft no Magic Online, assim como alguns drafts na Liga Arena, a loja que tem se sido minha patrocinadora nesse semestre!

Depois de todos os anúncios, registro de deck e já algumas estórias (o cara do meu lado tinha Glorybringer, Rhonas the Indomitable e Archfiend of Ifnir), vamos a minha pool.



Se assim como eu, vocês ficaram “caramba, um Deus branco foil”, realmente, é um “all-star” da pool, e não tinha do que reclamar, o engraçado é que no nosso grupo de conversa no torneio, entre 5 jogadores, tínhamos os 5 deuses. Depois as outras cartas importantes eram as remoções, e eu procurei, procurei, procurei, e não achei!!!!

As minhas remoções eram as seguintes :
1 Trial of Ambition
1 Splendid Agony
1 Start / Finish

E só, claro, eu tinha combat tricks e algumas outras coisas, como Essence Scatter, Cancel e Commit / Memory, assim como 2 Winds of Rebuke, mas isso está longe de ser remoção, eu queria era ter Magma Spray e Final Reward, mas enfim.

Ai depois de muito pensar na minha pool, analisar as minhas opções, eu acabei pensando que se eu não podia tirar as criaturas do caminho para atacar, e não tinha muitos tricks, eu poderia então lotar a mesa com os maiores bichos da minha pool, esperar o Deus branco e então ter mais permanentes em campo que meus oponentes, e como eu ia fazer isso? Simples, usando a combinação que sempre tem os maiores bichos.



O deck ficou assim no final, eu não tinha do que reclamar, tinha com certeza os maiores bichos, tinha uma carta que podia me dar alguma vantagem em “Mouth / Feed”, e era isso que eu tinha me determinado a fazer.

Mas isso não era o bastante, eu sabia que em algumas partidas eu infelizmente teria que mudar muito o meu deck, e acabei deixando preparado um deck BEM mais lento, com um plano BEM mais estranho, um BW que tinha Trial of Ambition + Cartouche of Solidarity, algumas sinergias com marcadores, e além de tudo, se tudo desse errado, ainda tinha uma WinCondition em forma de Aproximação do Segundo Sol.

E então o torneio, bom, com um pouco menos de 80 pessoas, seriam 7 rodadas pela frente, e eu sabia que tinha alguma chance com esses decks, poderia surpreender meus oponentes que provavelmente trocariam algumas cartas em seus decks após ver um monte de bichões e ficariam suscetíveis ao meu segundo deck!

Para não ficar falando muito do torneio, porque eu acho que pode ficar cansativo, eu ganhei a primeira rodada (meu oponente não achou a segunda cor no primeiro jogo) e na segunda rodada enfrentei o Isael Oliveira (que tinha um BG com Rhonas Liliana’s Mastery e o zumbi 5/4 ameaçar), ele acabou indo super bem fazendo top8. Na terceira rodada eu enfrentei um BR que me bateu até a morte com um Bonepicker, e que no segundo jogo não achou montanha mas achou florestas o suficiente para fazer uma Hydra 6/6 com embalsamar que sem remoções pontuais eu nunca consegui tirar da mesa.

Tive jogos muito interessantes depois disso, sabendo que eu tinha uma chance mínima de top8, eu decidi jogar com tudo, e isso deu resultados, meu GW começou a funcionar, o Deus branco começou a aparecer, e então até mesmo a troca de deck para BW deu resultado, na 6ª rodada eu fiz pela primeira vez segundo sol no turno 7, e 5 turnos depois, e dois reciclar, eu fiz o Segundo Sol pela segunda vez e ganhei.

Ironicamente, na ultima rodada, eu sabia que ganhar significava ficar apenas no top16, pois os slots do top8 seriam fechados com 16 pontos, e eu só conseguia fazer 15 =\, mas mesmo assim, fui com tudo, enfrentei um cara muito gente fina, cujo nome me falha agora, mas que tinha um Bant e fez Aproximação do Segundo Sol, e no ultimo turno eu quase o matei antes do Segundo Sol chegar,
levando ele a 2 de vida.
Acabei mudando para o BW, e meu oponente mudou para um RW não muito agressivo, pelo menos foi o que me pareceu, e eu acabei vencendendo fazendo Oketra, e no jogo 3 eu tinha uma mão inicial perfeita e curva, que conseguiu resolver até mesmo um Descanso Compulsório que tentava parar Oketra! Posso dizer sem duvida que foi o melhor jogo do torneio.

O resultado? Bom, eu fiquei em 9º como diz o titulo do artigo, fiquei feliz e triste com o resultado, não tinha muito o que fazer, torci para os conhecidos ganharem a vaga no draft Isael e Tutu, mas eles acabaram perdendo e ficando fora de Kyoto. =\



Minhas conclusões?

Realmente Selado de Amonkhet é sensacional, assim como Draft, que mesmo eu não tendo participado, me agrada muito, e sempre que posso jogo um online, fazendo as combinações mais estranhas! Selado ainda é definido pelas comuns e incomuns, e elas sim fazem toda a diferença.

Ri muito durante as rodadas quando meus oponentes percebiam que Watchers of the Dead era um Felino, e que ganhava +1/+1 e vinculo com a vida graças ao Regal Caracal!

Foi um torneio super competitivo e me senti “orgulhosi” de chegar numa posição assim, dentro do top16, garantindo uma box e um playmat, que sinceramente, achei sensacional!
E em uma ultima nota, só para não passar batido, ainda vou ter que dizer ao deck que estava jogando no final da temporada, é isso ai, no Standard tivemos MAIS UM BANIMENTO!
Mas esse já estava mais do que telegrafado, e na terça feira, Aetherworks Marvel foi finalmente banido!

Os motivos são óbvios, o deck era realmente consistente em fazer algo que não deveria fazer, Ulamogs no turno4, apesar disso não acontecer na probabilidade matemática como deveria, segundo o Frank Karsten é de apenas 9,4% dos jogos, mas ainda assim, ter 10% dos jogos acabando no turno 4 dentro do formato Padrão não é o que se espera.

Ainda acho que o maior problema sempre é  a questão do time de Pesquisa e Desenvolvimento fazer algo que faça você conjurar suas mágicas de forma recorrente sem gastar mana para tal, ou deixar você gastar mana de alguma outra forma, tivemos isso no bloco de Urza, no bloco de Scars of Mirrodin com mana phyrexiana, e agora Energia, eu acho a mecânica sensacional, e vou ficar triste quando ela partir do padrão e entrar praticamente no exilio, mas ter uma forma cíclica de conjurar mágicas sem pagar seu custo, e de forma tão consistente, realmente não estava certo.

Então é isso, tchau Marvel, e sinceramente, demorou para ir ! =P (mesmo eu jogando com o deck)

Espero ver vocês em uma mesa de Draft logo menos, e agora vamos torcer para o formato continuar sendo tão bom como é com a entrada de Hora da Devastação!

Obrigado galera! Valeu! :D