sábado, 27 de fevereiro de 2016

The Shadow Mage: Parte 1

Os ventos do Norte sopram outra vez trazendo lembranças da Era Glacial e desta vez, eles trouxeram um nome antigo. Um nome de uma família que está envolto a uma terrível dicotomia entre o bem e o mal.

Hoje meus ambiciosos planinautas lembraremos as façanhas da família Carthalion.




Este primeiro artigo será um artigo introdutório sobre essa saga. O Shadow Mage é uma HQ dividida em 4 partes, porém eu somente encontrei a #1. Estou tentando conseguir pelo menos mais duas partes dela, neste caso a HQ original e não arquivo PDF, para conseguir trazer a história completa.

A Saga do Shadow Mage traz algumas referências sobre um dos eventos do Multiverso mais misteriosos que foi a Planeswalker War. Pouco ou quase nada se sabe sobre isso, mas parece que as HQ trazem algumas pistas sobre tudo isso.

Resolvi começar o artigo explicando isso porque caso não consiga encontrar ou comprar as partes restantes infelizmente terei que trazer outro assunto no próximo artigo e assim, todos nós ficaremos na curiosidade eterna!


Os Carthalion

A linhagem Carthalion é bastante antiga em Dominaria. A data de sua criação vem dos tempos de Corondor com um homem chamado Son of Carth ou simplesmente Carth. Este foi o primeiro Carthalion e após ele, seus descendentes participaram, mais de uma vez, do destino de Dominaria.
E para lembrarmos desses nomes devemos retornar as terras escuras banhadas pelo frio e a noite da Era Glacial.


Jason Carthalion



O "primeiro" Carthalion que nós conhecemos ficou bastante conhecido pelo simples fato dele ter assassinado Freyalise.

Durante o longo inverno, na cidade de Storgard, Tevesh Szat manipulou o rei Miko levando Jason a duelar com Freyalise que naquela época era apenas uma maga real. Jason e Freyalise foram criados juntos o que tornou a tarefa mais árdua, mas dever é dever.

Apesar dele ter sido um spellsquire de Oriel Kjeldos mesmo assim ele precisou de alguns artefatos raros para conseguir estar a altura de Freyalise. Mesmo sendo apenas uma maga seu poder já era extraordinário e para o duelo Jason usou um arco de Fyndhorn e o Shield of the Ages.

Após vários turnos, feitiços e aranhas Baldaquinas invocadas, Freyalise finalmente tombou em batalha.



O que Tevesh não previa era que suas manipulações acabaram sendo sua destruição. Freyalise como sabemos, não morreu e sim ascendeu a planinauta após o golpe final.

Após a derrota Jason parte da cidade junto com Oriel e o reino de Kjeldor é fundado.

Com isso concluímos que Jason Carthalion além de ter sido co-fundador do vasto império Kjeldorano foi responsável pelo despertar da centelha da deusa dos elfos.

Jaeuhl Carthalion

Parece que nem a renomada família Carthalion escapou da maldição de possuir uma ovelha negra na família. E neste caso o nome dessa ovelha foi Jaeuhl.

Após alguns séculos, o reino de Kjeldor se expandiu e sobreviveu a assolação da Era Glacial. Buscando por um fim no inverno Freyalise começou os preparativos para conjurar o World Spell, um feitiço que trouxe o sol sobre Dominaria outra vez criando assim o Degelo.

Ela sabia que precisaria de tempo para preparar tudo e sabia que Tevesh estava atrás de amuleto antigo chamado Quoz. Então ela vai atrás do atual Carthalion, Jaeuhl, um frustrado cavaleiro Kjeldorano que fora acusado de roubo - além de inútil era ladrão - e que mal sabia usar um Lightning Bolt de uma mana!



Dizem que é difícil compreender a mente dos planinautas e nesse caso, mais ainda. Com tantos guerreiros honrados e seguidores Freyalise poderia ter escolhido alguém a altura do desafio afinal, Tevesh Szat não era um planinauta qualquer como Jace e sua turminha do bairro.

Mas enfim... parece que Freyalise quis zombar de Tevesh não somente por enviar um completo idiota, mas pelo fato dele ser um Carthalion. Ela morreu nas mãos de um membro da família então, nada mais justo que levar Tevesh a tombar pela mesma família.



Enquanto Freyalise preparava tudo para que o feitiço estivesse completo Tevesh duelava com Jaeuhl. Essa batalhas antigas realmente me fascinam, pois nelas nós vemos os elementos do Magic. Feitiços, cartas, criaturas e referências faziam parte deste tipo de batalha entre planinautas.



Após conseguir capturar o medalhão o jovem Carthalion conseguir sair na mão com Tevesh e Lim-Dúl. Apenas lembrando que para conseguir preparar o ritual para o World Spell a deusa precisou da ajuda dos elfos de Fyndhorn.

Ela partiu para as terras dos elfos buscando a ajuda do Alto Druida Kolbjorn. A história não ficou muito clara, mas parece que a princípio Freyalise desejava sacrificar a filha do Alto Druida, Kaysa, para que o feitiço se completasse.

Após discursos sobre ética, moral e etc., ela abandona essa ideia e consegue realizar sem precisar matar a criança.



O feitiço libertou Dominaria do gelo eterno e com a ajuda do medalhão Jaeuhl baniu Tevesh para Shandalar - acho que esse foi seu único ato heróico na vida - e assim a linhagem dos Carthalion foi salva da humilhação e vergonha. Após o fim da Era Glacial, Jaeuhl casou-se com Kaysa que veio a se tornar a Alta Druida de Yavimaya e assim o Carthalion mais paspalho que já existiu se tornou uma pessoa de renome e ainda teve uma descendência entre os elfos.





Adam Carthalion



Adam foi provavelmente o maior Carthalion que a história de Dominaria nos revela. Nascido nas terras de Arathoxia ele trouxe glória outra vez ao nome Carthalion. Desde jovem ele se tornou um magnata mercantil e depois ascendeu ao cargo de consultor dos líderes de Arathoxia. De consultor Adam se tornou o líder das casas de Arathoxia e assim as uniu em apenas uma, vindo a ser conhecido como Lord of Castlemar...ops sorry! Lord of Castle Melmereth.

A cidade-estado de Arathoxia foi uma das mais ricas de Corondor e foi lar da Casa Escarlate situada nas planícies de Ephren. A Casa Escarlate foi a mais poderosas das cinco e na ausência de Carthalion a Casa era governada pelo Scarlet Vizier.



Mas como todo homem sua ambição não possuía limites. Sua maior ambição era poder se tornar um planinauta - como se já não houvesse o suficiente deles vagando por aí - e graças a alguns rumores ele viajou para o arquipélago conhecido como Domains para encontrar com as terras dos anões: Dwarven Hold.



Rumores diziam que estas terras possuíam mana em tamanha abundância que poderia transformá-lo num planinauta. Ao chegar nos Domains Adam se deparou com um planinauta chamado Marduk Blackwater - isso parece mais nome de pirata - e ambos duelaram, porém ele apagou a memória de Adam antes que ele conseguisse escapar.

É você Blackwater?


Perdido, inconsciente e sem memória, Adam ficou preso nas montanhas de Hurloon, mas acabou sendo encontrado por um dos minotauros e para sua sorte este minotauro era um diplomata versado na língua dos homens e dos minotauros. Seu nome era Eusomone, mas ele também era conhecido como "Sings Two Ways" pelo fato de ser bilíngue.

Adam ganhou a amizade e confiança de Eusomone e ambos partiram para confrontar Marduk nas montanhas dos anões. De alguma forma miraculosa ele recuperou sua memória - lembre-se amiguinhos quando der mil no deck do oponente use Ecos do Passado - e ajuntou a mana do Forte dos Anões conseguindo expulsar o planinauta daquelas terras.

Com a batalha vencida ele agradece ao seu novo amigo e o presenteia com sua espada Foecleaver e em troca Eusomone garante a Adam ou aos Carthalion a permissão para ser invocada em batalhas.

E você sempre achando que ele era apenas uma criatura tosca!


Adam partiu das montanhas de Hurloon de volta para casa e, sabe Urza como, ele encontrou nesse caminho de volta ... adivinhem o que?




Isso mesmo!

Enquanto retornava para casa Adam Carthalion encontrou uma Black Lótus. Assim de repente como quem acha uma moeda na rua ele achou a carta mais valiosa do Magic. Imagino a cara dele ao abrir o booster dele de Alpha e tirar essa gracinha.

E não somente aqui fora ela possuem valor, mas em Dominaria a Black Lótus era estimada como uma poderosa relíquia e que acabou sendo guardada na House Scarlet na cidade de Arothoxia.
De volta ao lar, algum profeta do Apocalipse previu que uma terrível força maligna colocaria em perigo toda Dominaria. Não é nem preciso dizer que essa profecia apenas atiçou mais ainda sua sede e busca para se tornar uma planinauta.

E foi nesse contexto que surge Ravidel...




Sobre este planinauta falaremos sobre ele em nosso próximo artigo isto é, se ele vier a existir rsr.
Ravidel persuadiu Adam a sacrificar sua própria esposa, Gwendolyn Mor, para despertar sua centelha. Não que Adam fosse uma pessoa ruim ele somente estava fascinado pelo poder, e no fundo desejava esse poder para confrontar essa futura ameaça.

Sua esposa foi morta e mesmo assim ele não despertou sua centelha o que não era nenhuma novidade. Percebendo sua ganância Ravidel tentou convencê-lo de que se ele sacrificasse seu filho primogênito sua centelha finalmente despertaria.

Foi nesse momento que Adam acordou e percebeu a tolice que estava fazendo ao escutar aquele insano. Não somente isso, mas ele descobriu que a ameaça que ele tanto queria enfrentar era o próprio Ravidel!

Ele se recusa a matar o próprio filho para não cometer a mesma loucura que fez sua esposa e agrupa suas tropas.

Nas planícies de Ephren os exércitos de Adam Carthalion se ajuntaram para a batalha final contra o planinauta Ravidel...




Bem, agora o final e a continuação estão nas mãos dos deuses. Que os ventos Tolarianos possam ser favoráveis a nós para que possamos saber o desfecho de uma das maiores histórias do Multiverso.

_______________________________________________________________________

MAGIC: The Gathering - The Shadow Mage, Vol.1, N°1, July, 1995, Wizards of the Coast, Inc. All rights reserved. Published under exclusive license by ARMADA, a divison of Acclaim Comics, Inc.

Tradução feita por:  Leandro Dantes (Arconte)
Tradução Original: nesse LINK




Nenhum comentário:

Postar um comentário