quinta-feira, 25 de fevereiro de 2016

Plano de Theros

Theros é governada por um panteão de deuses assombrosos. Os mortais estremecem diante deles. São aterrorizados por seus cruéis caprichos e temem sua ira. É um plano onde minotauros barbáricos habitam as cavernas e atacam os viajantes desprevenidos. Gigantes caminham sobre o mundo, drenando sua força da terra onde pisam. No mar, Krakens colossais rondam as profundezas e as sereias atraem os marinheiros à sua ruína. Ainda assim, em meio a todos esses perigos colossais, os mortais encontraram um meio de resistir. E é neste momento que se reconhece o verdadeiro herói.

Os humanos não só resistiram, mas também prosperam, pois Theros é um plano onde as civilizações são protegidas pelas muralhas das grandes pólis, e cada cidade-estado é um porto seguro contra os monstros ferozes que rondam os lugares selvagens de Theros. Meletis, a pólis do aprendizado, do progresso, da magia e da devoção aos deuses, é uma prova das conquistas da civilização humana. É cercada por vastos campos de centeio dourado e pelo Mar das Sirenas, e defendida pelo Exército Reverente. Na pólis de Ácros, nada é mais importante que a destreza militar. Os guerreiros acrosanos alcançaram um status quase mítico em Theros. A imponente fortaleza no penhasco de Ácros fica no centro de uma rede de postos avançados que protegem o resto de Theros, para o conforto de seus habitantes. Setessa, a pólis isolada envolta por anéis concêntricos de floresta, é altamente independente. Fortes vínculos conectam seus habitantes, e toda Setessa compartilha uma forte veneração pela natureza.


CRIATURAS LENDÁRIAS



QUINAIOS E TIRO DE MELETIS

Empunhando um chicote dourado, Érebo governa o submundo e todos que sofrem infortúnios. Ele oferece esperança e apoio a todos aqueles que desejam paz, mas lutam contra seu destino.







RAVOS, PROTETOR DAS ALMAS

Carregando sua lança solar, Heliode irradia a luz sobre toda Theros. A encarnação da luz do dia, ele decide disputas, trazendo a verdade e a justiça a todos. Mas não se deixe enganar: aqueles que evocam sua ira são punidos rápida e severamente.






TRÁSIO, HERÓI TALASSIDO

Empunhando seu arco curto lendário, Niléia governa a caça e as estações de Theros. A mais solitária entre as divindades, ela passa a maior parte de seu tempo em uma plantação de oliveiras cercada pela serena solidão. Embora menos venerada, todos aqueles que caçam fazem suas oferendas, no temor de passarem a ser suas presas.






TIMNA, A TECELÃ

Empunhando um enorme martelo chamado Akmon, Púrforo supervisiona o caos e a destruição, além da criação de obras únicas. De pavio curto e frequentemente frustrado pelas limitações de seus seguidores mortais, ele é capaz de destruir uma obra-prima com o intuito de inspirar melhorias.







QUIDELE, ESCOLHIDA DE CRUFIX

Quidele é o principal oráculo de Crufix, o enigmático deus dos horizontes e mistérios de Theros. Para Quidele, não há virtude maior que buscar e encarar a verdade. De sua posição no templo de Crufix, Quidele já viu verdades que destroçariam as mentes de simples mortais. Crufix revelou a Quidele a verdadeira natureza dos deuses e o lugar de Theros no Multiverso, uma visão que jamais a deixará.





HELIODE, DEUS DO SOL

Uma vastidão em Theros era dominada pelo tirano Agnômaco, um arconte imortal. Um dia, Quinaios e Tiro, unidos por fortes laços de amizade e pela defesa da liberdade, decidiram desafiá-lo. O povo uniu-se à sua causa e Agnômaco foi derrotado. A pólis de Meletis foi fundada sobre as ruínas, como ícone da liberdade e do esclarecimento, e Quinaios e Tiro tornaram-se seus guardiões.





NILÉIA, DEUSA DA CAÇA

Como oráculo de Atreos, o deus da passagem, Ravos conhecia a natureza transitória da vida. Mesmo assim, ver sua amada cair em batalha foi mais do que Ravos podia suportar. Ele barganhou com Atreos, e agora ajuda a guiar os mortos para o Submundo em troca de ver sua amada morta uma vez por ano. Agora, Ravos na verdade está tramando o resgate de sua amada, e escoltando secretamente os mortos de volta à terra dos vivos, contrariando a vontade de Atreos.




PÚRFORO, DEUS DA FORJA

Trásio é um talassido, um dos poucos que vivem lado a lado com os humanos na enorme pólis costeira de Meletis. Acreditando ter a proteção divina de Tassa, deusa do mar, Trásio deixou seu lar e embarcou em uma peregrinação para explorar as profundezas do oceano. Ele afirma ter visitado as ruínas da fabulosa pólis de Olantin em sua mais recente expedição, embora poucos acreditem.





TASSA, DEUSA DO MAR

Timna é uma das poucas mortais de Theros capaz de dominar a magia dos Destinos. Outrora um membro da ordem dos Belisábios de Meletis, cujos membros se orgulham de moldar os rumos da batalha por meio da tática, e não da força. Sua carreira teve um fim prematuro quando um acidente de biga a deixou cega. Agora, ela entrelaça meticulosamente os fios do destino, que vibram sob seus dedos conforme suas maquinações se desenrolam.





ÉREBO, DEUS DOS MORTOS

Empunhando seu lendário bidente, Tassa governa o mar e todo o conhecimento secreto que fora perdido para ele. Qualquer um que viaje em um barco, não importa o quão breve seja a viagem, deve fazer uma oferenda ou arriscar descontentá-la. Apesar de aparecer frequentemente como uma talassida, Tassa não os favorece em detrimento dos humanos ou outras criaturas.






PÓLIS


ÁCROS

A pólis dos acrosanos é escavada na montanha. É aqui que vivem os habitantes mais valentes de Theros. Esses guerreiros são inigualáveis, geração após geração. A maioria deles patrulha cuidadosamente todo o território para garantir a segurança das estradas locais.


MELETIS


Meletis é o ponto de encontro dos sábios e de todos aqueles que desejam conhecer Theros melhor. Repleta de templos para todos os deuses, Meletis é a irmã civilizada de Ácros e Setessa. Diz-se que sua força de defesa mais bem treinada, o Exército Reverente, aumenta sua força bruta com feitiços.


SETESSA

Nos confins da Floresta Nistos encontra-se a pólis matriarcal Setessa. Populada primariamente por mulheres, a segurança de Setessa e suas filhas é mais importante do que qualquer outra coisa, inclusive conquistas territoriais ou até mesmo crescimento pessoal.


RAÇAS DE CRIATURAS



CENTAUROS

Os centauros formaram dois bandos distintos. Os Lagonnas são mercadores itinerantes que fazem comércio em paz e tentam viver em harmonia com todos ao redor. Os Feres são nômades andarilhos que saqueiam o que precisam e caçam onde quer que estejam.


MINOTAUROS

Apesar de pertencerem às raças de Theros, para todos os efeitos eles são monstros, em busca apenas de caos e carne fresca, não hesitando em matar seus próprios semelhantes na ausência de humanoides ou outras raças. Brutos e pouco racionais, os minotauros não reverenciam deuses. Seus guias divinos são a destruição, a brutalidade e o sangue, tudo em nome da conquista e da diversão.


DEUSES

Poderosos e imortais, os deuses de Theros existem para governar seus domínios e proteger os mortais que os adoram. Os deuses vivem no campo estrelado de Nyx, que os acompanha (em parte) quando viajam para Theros.


TRITÕES (TALASSIDOS)

Os talassidos adoram Tassa e não gostam dos humanos, que profanam seus mares pescando e navegando. Por isso, eles costumam saquear regiões costeiras. Capazes de permanecer dias fora da água, os tritões simplesmente precisam manter as guelras úmidas para não sofrerem danos permanentes da atmosfera.


NYXNATOS

Criados pelos deuses, os nyxnatos são um grupo de criaturas que contém a essência de Nyx em si. Eles não precisam de alimentos e passam suas vidas realizando os desejos dos deuses que os criaram. Os nyxnatos podem ser identificados pela mesma aparência de céu estrelado que as sombras dos deuses.


SÁTIROS

Sempre felizes e ansiosos por celebrar, os sátiros aceitam todos em suas festas... contanto que os convidados não queiram ir embora. Como eles veem a vida como uma jornada que termina no submundo, os sátiros decidem passar cada segundo vivo em um júbilo selvagem, sem nenhuma necessidade de outra razão para celebrar além de estarem vivos.


ZUMBIS (RESSURGIDOS)

Em Theros, todos os que morrem vão para o Submundo. Mas nem todos permanecem lá. Aqueles que retornaram encontraram uma maneira de trapacear Érebo e escapar. Em máscaras de ouro, eles retornam a Theros com todas as habilidades que possuíam, mas sem lembrarem nada de suas vidas anteriores.


Fonte: wizards






Nenhum comentário:

Postar um comentário