quarta-feira, 5 de junho de 2013

Que deck usar?



Danilo Paoliello

Olá...

E aí, pessoal? Como estão nesse novo Standard?

Eu sinto como se as coisas passassem tão rápido que não consigo acompanhar, Dragon´s Maze chegou agora e já estamos ansiosos por Modern Masters e em pouco mais de um mês M14 com suas novas regras para lendas e planeswalkers.

Enquanto isso, segue a programação de FNMs (que estranhamente ocorrem à tarde em muitos lugares), torneios variados nos domingos e, esporadicamente um grande campeonato.

Atualmente, minha atenção está voltada para esse último, um grande campeonato, no dia 09/06, esse domingo, viajarei para Aparecida para jogar na loja LIGA ARENA, onde teremos o GPTravel Santiago, no qual o campeão levará uma viagem para o Gran Prix Santiago no Chile!

Para esse torneio eu tenho 3 listas em mente, tudo bastante rogue, como meu costume, apesar de não ter certeza de poder chamar um deck campeão nacional de rogue.

Opção 1:


BUG

2 Drowned Catacombs
2 Watery Grave
4 Overgrown Tomb
4 Woodland Cemetery
4 Breeding Pool
3 Hinterland Arbor
2 Forest
1 Grim Backwoods
3 Rapid Hibridzation
1 Tragic Slip
3 Rancor
4 Experiment One
3 Young Wolf
3 Abrupt Decay
1 Simic Charm
3 Spell Rupture
2 Snapcaster Mage
4 Strangleroot Geist
2 Zameck Guildmage
4 Dreg Mangler
1 Wolfir Avenger
2 Dusmantle Seer
1 Evil Twin

Side
3 Deathrite Shaman
2 Tragic Slip
3 Golgari Charm
2 Memory´s Journey
2 Evil Twin
3 Syncopate

Não há muito que comentar sobre esse deck, é bom, é vitorioso e é conhecido, gosto da lista e tenho uma forte tendência a jogar com ele se estiver disposto a ser competitivo no dia.

Opção 2:

Grull Miracles

4 Experiment One
3 Vexing Devil
4 Gyre Sage
4 Strangleroot Geist
3 Wolfir Avenger
4 Huntmaster of the Fells
1 Blessing of Nature
2 Garruk, Primal Hunter
4 Thragtusk
3 Revenge of the Hunted
1 Ruric Thar, the Unbowed
4 Bonfire of the Damned

Side
2 Mizzium Mortars
3 Predator Ooze
3 Wolfir Silverheart
2 Ruric Thar, the Unbowed
3 Ground Seal
2 Clan Defiance

Esse deck já é algo totalmente autoral, não vi nenhuma lista semelhante por aí e ainda não tive oportunidade de jogar para fazer ajustes, em especial no side que está bastante pobre de sentido. Contudo, ele possui muitas interações diferentes e divertidas como o Benção da Natureza com Sábio da Espiral e o Diabo Irritante com a mecânica evoluir (valeu, Turco!).

Opção 3:

Vizkopa

4 Tragic Slip
4 Blood Scrivener
4 Vizkopa Guildmage
4 Lingering Souls
2 Liliana of the Veil
3 Sin Collector
4 Vampire Nighthawk
2 Sorin, Lord of Innistrad
1 Bloodline Keeper
4 Blood Baron of Vizkopa
2 Bloodgift Demon
2 Obzedat, Ghost Council
1 Griselbrand
4 Godless Shrine
4 Isolated Chapel
1 Orzhov Guildgate
2 Plains
10 Swamp
2 Vault of the Archangel

Side
3 Devour Flesh
3 Merciless Eviction
3 Multilate
3 Oblivion Ring
3 Purify the Grave

Por último uma opção iniciada apenas por diversão na qual vejo grande potencial, ainda mais com algo que ainda não foi inserido que são Teysa e Ritos de Desenterro. Mago da Guilda Vizkopa é o maior trunfo do deck e, normalmente, se não for devidamente tratado é o responsável pela vitória.

E na semana seguinte, 16/06, disputarei mais de R$ 2.500,00, na final semestral da loja LIGA ARENA, durante o semestre são 22 vagas distribuídas entre os jogadores de acordo com a soma das pontuações dos torneios realizados, numa tradição que chega a sua 7ª final.

Tenho o hábito de ler todas matérias da StarCity e da ChannelFireball, além daquelas na manchete da Liga Magic, e tanto lá quanto cá a pergunta é: de que jogar?

Eu normalmente escolho decks fora das listas e quando as uso customizo bastante, no momento temos um bom mix de opções fortes, do sempre presente Naya Aggro até os recentes Zombies e Junk Aristocratas.

Para quem gosta de controle, a variância é menor com a onipresente Revelação da Esfinge e agora Eterídeo, porém minha mente rechaça decks com Ilha.

O ambiente local é bastante agressivo e conta com alguns decks rogue, como o BUG campeão brasileiro e um Werewolfs, a falta mais sentida é de Reanimator, o que não deixa de ser uma boa opção, que por incrível que pareça seria um elemento surpresa.

Na linha do midrange tenho preferência pelo Jund, mas o Naya também é um grande deck e nem um nem outro existe por lá, deixando uma boa margem para decisões erradas pela inexperiência no enfrentamento, como não testei nenhum deles recentemente a recíproca é verdadeira.

Bant Hexproof é um deck com muito valor, principalmente por jogar com Coragem Inabalável no main deck, só que até M14 ainda estará vulnerável ao efeito de clone contra a melhor carta do deck e dentre todos aggros é o mais vulnerável a sweepers.

Com tudo isso em mente participei de meu único torneio T2 valendo Dragon´s Maze usando um G/W 

Aggro:

4 Experimento Um
4 Dríade Militante
3 Rancor
4 Voz da Ressurgência
4 Amuleto Selesnya
4 Chamado do Conclave
4 Golpeador Loxodonte
2 Lupíneo Vingador
4 Advento do Vorme
2 Sigarda, Hoste dos Garças
2 Vingança da Caça
1 Bosque do Guardião
1 Condado de Gavony
4 Jardim do Templo
4 Bosque da Pétala Solar
8 Floresta
5 Planície

SideBoard
3 Coragem Inabalável
2 Defensores Radiconatos
2 Salvação do Druida
2 Ajani, Convocador do Bando
2 Trostani, Voz dos Selesnya
3 Curandeiro Centauro
1 Garruk, Caçador Primal

Como podem perceber foi um deck concebido com medo de extrema agressividade no side, incluindo MonoRed, que esqueceu completamente de Reanimator e de Bant Hexproof, isso sem contar a pouca preocupação com Control. Apesar de considerar isso um erro, meu resultado nesse torneio foi 4-0: contra Bant Hexproof na primeira rodada; Naya Aggro na segunda; MonoRed splash G na terceira; e, BUG campeão brasileiro na final.

Estou confortável com a escolha e pretendo manter o mesmo deck, com algumas alterações para afetar as decisões dos adversários, em especial aqueles que estiverem lendo este artigo, claro que há uma segunda opção montada, mas é improvável.


E aí, qual vocês escolheriam? O que mudariam?

Nos acompanhe no Facebbok 


Nenhum comentário:

Postar um comentário