terça-feira, 21 de maio de 2013

Commander Teferi





                Hoje falaremos sobre Commander, um dos melhores formatos para quem quer apenas se divertir com o magic!

                Provavelmente todos já ouviram falar desse formato, onde decks gigantescos são usados e cartas horríveis são consideradas Staples. Onde mesas com 6 ou 7 jogadores se divertem, existem jogadas incríveis a cada rodada e o Rato reclama (porque algumas coisas nunca mudam).

                Vou falar sobre uma lista que eu venho utilizando a mais ou menos um ano e vem me dando grande satisfação. É um pouco diferente por ser monocolor, praticamente uma exceção no mundo do Commander, onde a regra são decks de 3, 4 e até mesmo 5 cores. O deck é bastante forte e bem divertido de se utilizar (mas lembre-se que esse não é um sentimento compartilhado pelos outros jogadores...). Não consigo pensar em um deck mais forte do que esse para se jogar 1x1, mas ele não é fraco em uma mesa grande, podendo surpreender, montando uma mesa bastante grande entre um turno e outro, e isso sem dar chance de resposta para nenhum dos adversários.

Vamos à lista:



1 – Teferi, Mago de Zhalfir

2 – Força de Vontade
3 – Mox de Cromo
4 – Rédeas da Vontade
5 – Atrasar
6 – Sol Ring
7 – Obstruir
8 – Furto Espalhafatoso
9 – Metamorfo Vesuviano
10 – Controle da Mente
11 – Vaga-Pensador
12 – Silenciador Mago do Vácuo
13 – Karn Liberto
14 – Aboshan, Imperador Cefálida
15 – Elemental do Turbilhão
16 – Ponderar
17 – Preordenar
18 – Meditador Rastejante
19 – Retroceder
20 – Fiandeira do destino
21 – Memnarca
22 – Venser, Sábio Modelador
23 – Agulha Medular
24 – Guia dos Amanhãs
25 –Adentrar o Infinito
26 – Identidade Roubada
27 – Caminhar nas Eternidades
28 – Fato ou Ficção
29 – Limpar
30 – Aprisionar
31 – Grilhões dos Vedalkeanos
32 – Cripta de Mana
33 – Parar o Tempo
34 – Decreto do Silêncio
35 – Perdido nas Brumas
36 – Jace, Arquiteto do Pensamento
37 – Maré da Devastação
38 – Ingeridor Phyrexiano
39 – Espiral Temporal
40 – Adquirir
41 – Tamiyo, a Sábia da Lua
42 – Lapso de Memória
43 – Onisciência
44 – Maestria Temporal
45 – Dissipar
46 – Imagem Fantasmal
47 – Metamorfo Phyrexiano
48 – Espiramitológico
49 – Intelecto Avassalador
50 – Kira, Grande Vitro Fiandeiro
51 – Tomar Posse
52 – Imperatriz Galina
53 – Contramágica
54 – Esfinge Consagrada
55 – Tempestade Cerebral
56 – Fenda Ciclônica
57 – Ladrão de Aura
58 – Búzio Drenante
59 – Keiga, a Estrela da Maré
60 – Consciência Corrompida
61 – Tutor Místico
62 – Trapaça Feérica
63 – Primordial Diluviano
64 – Comando Críptico
65 – Torre do Relicário
66 – Mina de Superfície
67 – Terras Ermas
68 – Minamo, Escola à Beira d’Água
69-100 – Ilha

Como podem ver esse é um deck de respostas, praticamente nada do deck mata e sua criatura mais forte provavelmente será a criatura mais forte que um dos seus oponentes baixou.

O deck basicamente começa a jogar na fase final do turno anterior ao seu sexto turno, que é quando você tem as 5 manas necessárias para fazer o Teferi. Antes disso você pode ter usado alguma carta de compra ou então anulado alguma coisa preocupante (como uma Espada de Fogo e Gelo, por exemplo). Após isso suas mágicas serão jogadas, via de regra, no turno dos seus oponentes, anulando possíveis ameaças ou fazendo criaturas no passe, caso nada muito ameaçador tenha sido jogado.

O Teferi te permite uma vantagem gigantesca enquanto na mesa, você praticamente nunca terá qualquer mágica respondida, e ainda poderá jogar suas criaturas no passe, sempre tendo certeza de que, uma vez que terminam suas fases principais, seus oponentes não podem mais fazer nada contra você. E é essa habilidade que nos permite jogar com esse conjunto de cartas que, mesmo fortes individualmente, não têm uma sinergia real entre si.


Quanto aos counters, o deck possui 15 deles, sendo que 5 deles fazem mais coisas além de simplesmente anular. Acho que o melhor deles e menos esperado é o Parar o Tempo. Ele pode anular mágicas inanuláveis, impedir você de ser atacado, anular habilidades... É realmente o conter mais versátil que o deck possui. Búzio Drenante é a criatura com maior potencial de poder do seu deck, não é estranho ele entrar em jogo como um 7/7 ou 8/8. Retroceder te permite jogadas bastante interessantes, seja fazendo com que você tenha mana aberta para um segundo conter, seja para poder anular e ainda assim fazer uma criatura no passe.

Já o decreto do Silêncio é uma carta bastante interessante. Quando você a coloca em jogo seus oponentes acabam ficando sem saber exatamente como jogar, e normalmente é uma carta que faz com que a mesa se vire contra você, então deixe para jogá-la quando tiver certeza de que eles não podem acabar com seu jogo na volta. Na pior das hipóteses ela ainda é conter com cantrip.


As criaturas são bastante interessantes também, elas se dividem entre criaturas que fornecem card advantage e criaturas que vão te manter vivo até você conseguir controlar o jogo. As mais dignas de nota dentre as criaturas são: Aboshan (pode, sozinho, controlar o jogo), Imperatriz Galina (num formato baseado em criaturas lendárias não é nem necessário dizer o quão boa ela é, ainda mais se combinada com Minamo), Memnarca (que pode ser lido como: ganhe o controle de uma permanente alvo por turno) e a Esfinge Consagrada, que é a responsável por, caso haja outra dessas em jogo, fazer com que você possa comprar quantidades absurdas de cartas, ajudando a buscar a principal carta do deck e praticamente a única maneira de se lutar contra uma mesa de 4 pessoas que acham estar jogando Arch Enemy.



Sim, vamos ao principal do deck, como seu clock é ridiculamente alto, a melhor maneira de ganhar de vários oponentes é resolvendo uma Onisciência, que, junto de Esfinge Consagrada é roubada demais e junto de Adentrar o Infinito é simplesmente game over para os seus oponentes. Se você resolve uma Onisciência com o Teferi em jogo e Adentrar o Infinito na mão você ganhou, simples assim. Só falta decidir como. Por isso o deck também usa Espiral Temporal, se algo der errado não hesite em baixar todas as permanentes que te convêm e embaralhar todo o resto no grimório, garantindo tempo o suficiente para matar todos seus oponentes, afinal você, além de ficar com uma mesa absurdamente grande ainda terá vários turnos extra para ganhar do modo que bem entender. Caminhar nas Eternidades ajuda bastante nessa missão também.


Para baixar uma Onisciência você precisa de muita mana, para isso temos Cripta de Mana, Sol Ring, Mox de Cromo (que está aqui também para casos onde você compra cartas demais com a Esfinge mas não possui muitas fontes de mana...). Outra carta que pode, entre outras coisas, funcionar como um excelente acelerador de mana é o Furto Espalhafatoso, afinal, porque gastá-lo roubando coisas tão efêmeras em uma mesa de Commander como criaturas, se você pode roubar terrenos que, assim como os melhores amigos das mulheres, também são eternos?


Bom, mas enquanto o plano de baixar Onisciência e ganhar o jogo não funciona, temos que nos manter vivos, e a melhor maneira de fazer isso é conseguindo aliados! O deck possui um grande problema para conseguir aliados, que é o próprio Teferi, que, independente de sua vontade, afeta todos seus oponentes, mas. ao contrário de outros comandantes chatos como o Agostinho, o deck é bastante lento e não faz praticamente mágica nenhuma no começo do jogo, o que facilita um pouco conseguir aliados, afinal como você aparentemente não representa perigo, seus oponentes acham interessante ter um aliado que possa anular mágicas com uma frequência alta. O segredo é ser um aliado confiável e manter suas alianças até a hora combinada, fazendo o possível para nunca trair seus aliados. Assim você consegue se manter vivo com uma facilidade maior e, caso vocês também joguem por pontos como acontece em Aparecida, você, após combar, pode permitir que seu aliado faça alguns pontos também, de modo que todos (com exceção dos que não se aliaram a você) ganham!

O deck não está com a lista perfeita, várias cartas possuem substitutos bem melhores, como é o caso de Controle Mental e deslealdade, Jace, Arquiteto do Pensamento e Jace, o Escultor de Mentes, Adquirir e Suborno e outros casos mais, sem contar que várias das escolhas de cartas são escolhas pessoais, não estando, nenhuma delas, escrita em pedra. Portanto, se gostou da ideia, monte um e teste! Aposto que você não vai se arrepender! Mas faça isso apenas se você tiver um desgosto especial pelos seus oponentes, pois o deck é chato demais de se jogar contra.



2 comentários:

  1. Deck de counter no modern não é legal, se você montar um deck assim ninguem vai querer jogar com você.

    ResponderExcluir
  2. Bem legal a lista, depois de ler os livros do ciclo dos artefatos que conta a história do Urza, Teferi e KArn, fiquei com vontade de montar um deck temático deles, e commander é o formato perfeito pra isso.

    ResponderExcluir