quinta-feira, 10 de janeiro de 2013

As Remoções do T2

Brock



As Remoções do T2


Olá pessoal! Meu nome é André Rangel, mais conhecido como Brock (Sim, é devido ao Pokémon) e meu primeiro contato com magic foi há um bom tempo, na época de Odisséia. Parei de jogar, por motivos diversos, e só voltei a jogar em Scars of Mirrodin, desde então tenho jogado regularmente (tão regularmente quanto a faculdade permite), até mesmo no período em que estive em intercâmbio na França. Esse intercâmbio, inclusive rendeu outro artigo publicado aqui na Arena. Você pode conferir esse artigo aqui.
Mas, hoje eu estou aqui para falar de outro assunto, dessa vez uma análise mais técnica sobre um tipo de carta muito importante, muitas vezes decisiva, para nós magiqueiros:


REMOÇÕES
Sim, eu sei existem muitos decks (muitos bons decks) que simplesmente não usam nenhuma e que também não sofrem nem um pouco se os adversários as usam, mas sejamos francos a esmagadora maioria dos decks ganha com criatura batendo (em especial nesse T2 que conta com aggros muito fortes) e contra essa estratégia uma remoção bem aplicada pode ser a diferença entre a vitória e ser completamente ownado.
Antes da análise devemos fazer algumas considerações sobre as remoções nesse artigo. Em primeiro lugar é considerada remoção a carta que consegue inutilizar a criatura do adversário, seja matando, exilando, impedindo de atacar ou defender, etc.
Segundo ponto: apesar de existirem muitas cartas que funcionam como remoções (como hellvault, Liliana, Garruk) este artigo será focado, porém não exclusivo, em Feitiços, Mágicas Instantâneas e Encantamentos.
Definido isso, vamos ao que interessa:

REMOÇOES POR COR

AZUL: Azul é uma cor que oferece muitas maneiras de controlar o jogo, mas historicamente é fraca para remoções. Geralmente as “remoções” azuis lidam com as criaturas de maneira temporária, voltando-as para a mão do seu controlador (Silent Departure, Devastation Tide), ou virando e impedindo de desvirar (Encrust, Paralyzing Grasp). Os efeitos de Tap tendem a ser mais duradouros que os de bounce, sendo assim uma opção viável se você está jogando de azul é:

- Dungeon Geists, criatura com um corpo razoável (3/3) com evasão. Pode ser uma boa opção contra aggros que não usam muitas remoções pontuais como o GW, ou ainda parar aquele Tragthrusk de decks que não usam Anjo da restauração, como o Bant Control.

BRANCO: De maneira geral as remoções brancas agem de duas maneiras, exilando ou destruindo/causando dano as criaturas, porém essa segunda opção está sempre atrelado a uma condição, a criatura deve estar atacando ou defendendo (Divine Verdict, Righteous Blow) ou ter determinado poder/resistência (Smite the Montrous). As remoções brancas já foram melhores, todos sentimos falta de Path to Exile, mas ainda hj as opções brancas são abundantes e temos como destaque:


- Oblivion Ring: O bom e velho Oblivion Ring, este encantamento tem estado por ai por um bom tempo e sempre incomodando. Está certo que Oblivion é uma remoção de 3 manas, sorcery speed, mas não se pode negar sua eficiência e versatilidade ( remove qualquer permanente que não seja terreno) e para alguns decks, como os atuais BR aggros, tomar um oblivion é praticamente perder a criatura até o fim do jogo.

PRETO: Preto é com certeza uma das cores mais fortes em remoções! Remoções que agem destruindo diretamente (Human Frailty, Murder, Victim of the Night, Ultimate Price) ou dando -x/-x (Death Wind) são a especialidade dessa cor, porém seu arsenal de opções não para por ai e isso traz uma grande vantagem, pois é a única no T2 que apresenta efeitos de Édito permitindo que ela contorne o famigerado Hexproof. Assim as remoções de destaque nessa cor são:
- Tragic Slip: Este ponto pode ser discutido, pois como eu disse antes o preto apresenta varias opções, entre elas Ultimate Price e Victim of Night, eu escolhi Tragic slip pois é remoção instantânea, de custo 1, o que elimina o problema da dupla preta de Victim,  lida com Falkenrath Aristocrat, nenhuma das duas anteriores faz e se tiver mórbido é capaz de remover qualquer criatura sem hexproof. 

- Tribute to Hunger: Sim, eu sei que não é a melhor carta que existe, mas acredite, aquele geist of Saint Traft vai bater muito.

VERDE: Do paraíso negro das remoções vamos ao limbo, o verde praticamente não oferecia remoções, a não ser contra criaturas voadoras (Crushing Vines, Plummet). Porém, a introdução da mecânica Lutar trouxe uma opção muito saudável para essa cor, é claro que ela depende de você controlar uma criatura e que muitas vezes essa criatura vai morrer nessa luta, mas só a existência dessa mecânica já é um grande passo para a cor. A mágica de destaque nessa cor então só pode ser:

- Prey Upon, a carta não viu tanto jogo quanto foi especulado que veria quando ela saiu mais ainda assim é uma opção forte para a cor e se você controla uma criatura com deathtouch, remove qualquer coisa do outro lado.

VERMELHO: De volta a uma cor forte em remoções, o vermelho apresenta ainda mais opções de remoções que o preto em número de mágicas, porém perde na versatilidade já que a única maneira de remoção dessa cor desrespeitosa é cuspir dano em suas criaturas (Burning Oil, Flames of the Firebrand, Harvest Pyre, Mizzium Mortars) e obviamente em você também (Brimstone Volley, Searing Spear). Entre tantas opções podemos destacar:

- Pillar of Flame: 1 mana, 2 de dano, Sorcery. Se muita gente tem nojo de Choque essa carta seria ainda pior, SERIA, se a criatura morta dessa maneira não fosse removida de jogo. Pode acreditar remover um Geralf’s Messenger por apenas uma mana é muito bom.


MULTICOLOR: Com a chegada de Return to Ravnica e as guildas desse plano cartas com duas cores se tornaram muito mais comuns no T2, e isso é claro implica em cartas de remoção coloridas. Essas cartas em geral apresentam uma mescla das características de suas cores formadoras, mas pela dificuldade maior de pagar seu custo de muitas vezes vemos que o Power level dessas remoções são superiores, é como dizia tio Ben: Com grandes poderes, vem grandes responsabilidades. As cartas de destaque nessa categoria são: 


- Abrupt Decay, por duas manas, instant, destrói qualquer permanente não terreno com custo menor que 3 e não pode ser anulada? Pode isso Arnaldo?

Dreadbore: Mais uma remoção por duas manas, porém dessa vez sorcery speed. A grande ajuda dessa carta é oferecer a decks BR uma opção rápida para remover planeswalkers.

Maaas, e se o adversário tiver mais de uma criatura, se ele tiver a mesa cheia de criaturinhas prontas para acabar com meu jogo? Ai, meu amigo, ai é hora de apelar...

MASS REMOVALS: Remoções globais ou board sweepers são remoções capazes de limpar a mesa e não precisa nem falar que no magic quando uma carta dá cabo de várias outras ao mesmo tempo a vantagem é imensa, então vamos olhar o que sua cor te oferece nesse campo:

AZUL: Como dito anteriormente azul não é a cor preferida das remoções, então era de se esperar que não oferecesse muitas opções de remoções globais... Porém, a nova mecânica izzet, o Overload, proporciona a chance de estender o efeito que atingiria uma permanente do adversário para todas as que ele controla, por isso a carta azul de destaque nessa categoria é:

Cyclonic Rift: Como é comum nas remoções azuis ela não lida permanentemente com as criaturas adversárias e o overload tem um custo elevado, mas a versatilidade de poder ser usada para somente um alvo, o fato de atingir qualquer permanente e só atingir permanente dos seus adversários já garante o destaque desta carta.

BRANCO: Branco está para remoções globais assim como o preto está para remoções pontuais. A cor tem Cólera de Deus, e com certeza você já ouviu alguém dizendo coisas como “Tomei uma cólera” para dizer que o oponente tinha resolvido um mass removal. No T2 de hoje não temos nem cólera nem dia do julgamento, substituto natural nos últimos anos, mas a cor não está desamparada e a carta de destaque é:

Terminus: Essa carta tem sido a estrela das remoções globais, e convenhamos que ela tem calibre para isso. Em um formato em que poucas cartas que permitem embaralhar o grimório e tantas cartas interagem com cemitério mandar para o fundo do grimório é muitas vezes mais eficientes que matar as criaturas e você ainda tem a chance de fazer isso por uma mísera mana branca. O Zombies chora.

PRETO: É... os dias já foram melhores para as remoções globais pretas a cor que já teve damnation e ultimamente Black Sun’s Zenith hoje tem opções reduzidas, tanto que talvez tenha sido a cor mais difícil para se escolher o destaque, porém, após analisar os arquétipos mais usados hoje decidi destacar:







Killing Wave: Dar uma escolha ao oponente não é a melhor coisa a se fazer, é claro que o oponente escolhe dos males o menor, porém em muitos casos mesmo o pequeno mal já é o suficiente p vencer. Além disso, a carta encaixa bem em decks agressivos como o Zombies, que não se importa muito em sacrificar criaturas, e contra o qual todo mundo quer poupar ao máximos seus pontos de vida . A segunda opção de mass removal preto é Mutilate, mas sua eficiência é muita atrelada a base de mana do deck.

VERDE: Bem... Golgari Decoy + Nightshade Peddler ? Acho que não né... Próxima...

VERMELHO: Voltando a possibilidades reais, o vermelho está ai, sempre desrespeitoso e pronto para vomitar dano em tudo e todos. A cor oferece varias opções de board sweepers mas a carta de destaque não é tão difícil de adivinhar:

Bonfire of the Damned: De um tempo para cá ela esta aparecendo menos no Field, mas sério, uma carta que causa X dano só nas criaturas e no jogador do outro lado da mesa é muito forte até sem o milagre, quando acontece de resolvê-la pelo custo alternativo então... GG.

MULTICOLOR: Ah RtR, quanta coisa boa você nos trouxe... Lembram-se do papo de que cards coloridos podem ter Power level elevado? Lembram-se do papo de limpar a mesa? Olha onde esse papo termina:



Supreme Verdict: Não é a toa que essa carta tem sido a remoção cujo uso mais cresce nos últimos campeonatos. É uma carta que você tem certeza que vai resolver, você tem certeza que vai investir 4 manas e limpar a mesa não importa o quanto seu adversário xingue a WotC.

Bom pessoal, com isso nós cobrimos todas as possibilidades de cores e podemos encerrar essa análise das remoções presentes no T2 e suas aplicações. Espero que tenha sido útil e que ajude vocês na decisão de qual remoção utilizar. Até a próxima!





Nenhum comentário:

Postar um comentário