segunda-feira, 23 de janeiro de 2012

Filosofando o Magic

 
Filosofando o Magic: Zumbi Nerd, Maria do Bairro e outras coisas legais – spoilers de Dark Ascension

                                                                                       Por: Tio Helio


Nariz de Cera

Sabia que o símbolo de Innistrad representa duas garças estilizadas? (A garça é um símbolo de Avacyn – ver carta Garça Lunar). Eu imaginava que era um garfo torto, uma hidra, sei lá... Parece mesmo a cara de um daqueles passarinhos de origami.

Fonte:  http://en.wikipedia.org/wiki/List_of_Magic:_The_Gathering_sets

(Nesse link estão explicados todos os símbolos das expansões. O de Shadowmoor é a coroa do Reaper King, caso você não queira clicar no link).

E com essa informação relevantíssima, comecemos 2012.

Daqui pra baixo temos vários spoilers de Dark Ascension. Coisas lidas no site da wizards e no fórum da salvation, em sua maior parte.

Zumbi Nerd

Daí que fizeram mais um lich legal em Mtg – Havengul Lich. Na verdade, como ele tem alto fator de “matabilidade” (nenhuma proteção, morre para Dismember ou incinerar se vier via Heartless Summoning, etc.), ele não é bom o suficiente para entrar no meu conceito de lich (juntar a habilidade do Dralnu, Lich Lord com a imortalidade Phylactery Lich + subtipo lendário daria um lich ideal). Por isso, pra mim, considerar o novo lich um zumbi nerd está de bom tamanho.

Sexta feira treze passada eu tinha escrito um artigo inteiro sobre o lich (era um artigo mesmo, daqueles que citam regras por números, textos do gatherer, etc.). Daí teve uma queda de força... Claro que eu não sou J.C. e não tinha salvo (só J.C. salva... haha...). Eu ia reescrever o troço, mas eu fiquei tão enjoado com o assunto que resolvi dar uma passada por Dark Ascension como um todo.

Para descer o bicho precisa pagar 3UB – sim, é uma carta que custa cinco. A gente dá um desconto pra ela porque os UBs e Espers da vida usam criaturas com custo de mana convertido 6-7.

Resumidamente: No texto do lich está escrito que, quando você ativa a habilidade dele pagando 1, você pode jogar naquele turno uma mágica de criatura alvo de um cemitério – parte preta da carta. Quando você joga a mágica de criatura, o lich copia as habilidades ativadas dela – parte azul da carta (habilidades ativadas são aquelas que têm “alguma coisa:” – custo de mana, símbolo de virar, “sacrifique uma criatura”, etc. antes da habilidade) (não, a criatura não precisa entrar em jogo para o lich copiar as habilidades). Isso serve para, através do Lich, você poder usar a habilidade ativada com virar da criatura reanimada sem ímpeto no turno em que você joga a mágica.

Esse lich até entra num Esper ou UB (se alguém jogar de Esper ou UB...) reaproveitando snapcasters, eventuais criaturas aggro no cemitério do oponente (especialmente no Solar Flare, jogando contra um UW, por exemplo).

O Havengul Lich não é lendário #todos_jogador_de_commander_chora, mas é um Wizard. E ser Wizard sempre faz a turma do Riptide Laboratory olhar para ele...

Onde eu li sobre o Lich (clica que é link):  Liga Magic ; Salvation ; WoTC


Bom é o Sorin, o resto é... porcaria.

Primeiramente, essa seção tem um SPOILER de enredo do tamanho do mundo. Pra dar tempo de quem quiser pular essa seção fazê-lo, um fato sobre Sorin. Ele é um planeswalker e seu nome vem da Argentina. Significa que a pronúncia de seu nome não é “Sôrin”, que nem o jogador de futebol, ele chama “Sóhrin”. (Eu ouvi isso num coverage da Star City Games, não sei se a pronúncia está correta, mas eu achei mais legal assim).

Ok. Spoiler: Sorin criou Avacyn. Sim, ele “fez” um arcanjo. O vô do Sorin criou os vampiros de Innistrad, mas os humanos começaram a morrer depois. Por questões de controle populacional, Sorin criou um arcanjo para proteger os humanos, enquanto o Jace deckava alguma criancinha por aí. Se isso não faz dele um quase Nicol Bolas zoado (o antigo era bom), não sei o que faria. Karn, Bolas e Sorin aparentemente são os caras “tier 1” entre os neo-walkers.

Falando da carta do Sorin: Ele custa 4 no total, o que o torna jogável . Ele tem 3 de lealdade e 3 habilidades.

Com a primeira habilidade (+1), ele coloca uma ficha. Depois de Fateseal/Brainstorm, a coisa mais legal que um planeswalker pode fazer é colocar uma ficha – ainda mais se essa ficha tem lifelink. É uma ficha 1/1 que, se equipada, não faz feio.

Com a segunda habilidade (-2), ele coloca um emblema, dando +1/+0 para todas as suas criaturas. Você pode descer o Sorin, colocar um emblema e ele ainda fica vivo para colocar fichas se o oponente deixar. Não é a estratégia modelo, mas se você estiver com uma mesa carregada com Mirran Crusader + Hero of Bladehold, pode ser mais útil do que uma ficha de vampiro.

Por fim, com a terceira habilidade (-6) – que é uma das habilidades de planeswalker mais monstruosas até agora, na opinião deste que vos escreve - ele destrói até 3 outros planinautas e/ou criaturas e os coloca de volta em jogo sob seu controle.  Sim, você pode usar isso nos seus planeswalkers para resetar seus pontos de lealdade, nas suas criaturas para desencadear habilidades, ou para pegar emprestado planeswalkers e/ou criaturas do oponente.

As cores (BW) são clássicas, o que agrega valor a carta.

Onde eu li sobre o Sorin: WotC


A melhor carta da edição (muito provavelmente)


Thalia, Guardian of Thraben – ou Thalia, Maria la del Barrio.

Pra quem não lembra, Thalía é o nome de uma artista que fez a famosa novela Maria do Bairro, que passou no SBT mais de uma vez. Se o povo chama Stoneforge Mystic de Lady Gaga; Thalia, Guardian of Tharben no meu coração sempre será Maria do Bairro. Não sei a história da personagem (da Wizards, a da Maria do Bairro eu sei), mas na música da abertura da Maria do Bairro temos a seguinte passagem:

“De su barrio querido se fué / Pa' poder comer” (Saiu de seu bairro querido/Pra poder comer).

Eu olho a arte da carta, eu lembro desse trecho da música – tudo a ver com o clima de horror de Innistrad. Só por isso, total melhor carta da edição.

O que ela faz? Bem, ela custa 1W e as mágicas que não são de criaturas custam 1 a mais. Além disso, ela é uma criatura lendária (commander) 2/1 com iniciativa.

A habilidade dela: corta combos de storm (ou pelo menos detona as contas sensivelmente) no modern; ela volta para mão com Karakas no legacy e ela é um humano 2/1 iniciativa que atrasa o day alheio em um turno, boa para passear no main deck do standard. Além disso, ela acaba com a palhaçada do gut-shot-de-graça e faz Dismember custar absurdos dois (hmm... ainda overpowered).

Resumidamente: é uma carta de sideboard contra control que pode ser usada em main deck nos decks aggros sem muito prejuízo (depois você pode trocá-la por um Canonist/Abolisher do sideboard se necessário). Um monstro, que praticamente confina o Storm no legacy (precisava fazer umas contas contra ANT e TES).

As cartas boas que custam dois são muitíssimo melhores do que as cartas boas que custam 3, 4 ou 5, por isso muito provavelmente essa carta vá acabar sendo uma das mais fortes da edição, todos os formatos considerados.

Onde eu li sobre essa carta: Salvation
Abertura de Maria la del Barrio em HD: YouTube (Coloca em 0:13... Até a fumacinha é igual)


Lobisomens

Estou vendo os lobisomens novos e não estou gostando. A impressão que dá é que Mayor of Avabruck, Reckless Waif, Instigator Gang e Kruin Outlaw, junto o lobo incomum que dá bônus para os lobisomens e os mantém transformados (o Immerwolf, de Dark Ascension ) já fazem bem o serviço. Huntmaster of the Fells é bom depois de um day, mas não sei se ele entra bem no deck. Das cartas que estão sendo badaladas, é a que eu acho menos útil. Embora ele cause dois de dano, ele não ajuda tanto assim no beatdown.

Ok, a Chapéuzinho Vermelho e a Vovó são os lobisomens mais legais de todos. (Pensando bem, talvez o Huntmaster of the Fells seja o caçador... É, até que ele é legalzinho).

Eu, pessoalmente, já passei meus lobisomens de Innistrad para frente. Razão: Embora o deck talvez jogue agora ou pós-rotação, você nunca sabe o que vai acontecer no jogo (vira ou não vira). Num o meta com muito control, pode ser que eles joguem (ou nem isso, agora que o povo descobriu gut shot/probe), mas na aggrolândia (standard) fica complicado.

Magic é um jogo que muda a cada partida, nunca dá pra ter certeza absoluta do que  vai acontecer (frases cafonas). O problema com os lobisomens não é a falta de certeza, mas sim a certeza da dúvida (frase não tão cafona, para compensar).


Fichas

Sorin + as cartas brancas que fazem fichas possibilitam tanto um deck de fichas quanto um deck de vampiros + humanos (onde as fichas brancas de humano serviriam para sacrifício). Ainda não vimos tudo, mas acho que as fichas estão mais interessantes em Dark Ascension do que em Innistrad.


Style Points

Curse of Exaustion: 2WW, Aura Curse incomum. O jogador encantado só pode fazer uma mágica por turno. Alternativa budget para parar combos.

Thraben Doomsayer: 1WW, criatura rara. Vira para colocar uma ficha de humano 1/1. Fateful Hour (mecânica conhecida como “é cilada, Bino”): Se você tiver 5 de vida ou menos, suas criaturas tem +2/+2. Go tokens!

Deranged Outcast: criatura rara, 1G para descer. 1G, Sacrifique um humano: coloque 2 marcadores +1/+1 na criatura alvo. Isso é um rogue, o resto é conversa. Colocar marcadores +1/+1 na criatura alvo para evitar que ela volte do inferno com a mecânica Undying também é estiloso.

Crushing Vines: Comum, 2G. Destrói o artefato alvo ou a criatura alvo com voar. Típica carta de side que pode acabar entrando no main deck em alguns lugares onde as pessoas jogam de Delver Blade (“tipo”, no mundo inteiro).

Artful Dodge: Feitiço azul comum, U, Flashback U: a criatura alvo é inbloqueável nesse turno. Boa pro pessoal do Infect.

Call of the Kindred: Aura azul, 3U. No início da manutenção você olha as cinco cartas do topo do seu grimório (só isso já tava bom). Você pode colocar uma criatura que compartinhe um tipo de criatura com a criatura encantada (tipo Delver Flipado e Snapcaster Mage). Coloca o resto no fundo do grimório. É que é aura (= card disvantage se não for rancor/angelic destiny) e custa caro, mas isso depois de um brainstorm da vida... Enfim, a carta azul mais verde que existe.

Curse of Echoes. Curse azul, 4U, rara. Quando o jogador encantado faz um instant/feitiço, os outros jogadores podem copiar a mágica e escolher novos alvos para a cópia. Tomara que ninguém jogue com isso, porque custa 5 e tal... Senão isso vai ser broken num UB da vida, contra um monored da vida.

Curse of Fortunes: Curse preta, 4B, rarar. No início da sua manutenção, você pode procurar uma curse diferente das curses encantando o jogador alvo (senão vira bagunça) para encantá-lo. Isso viabiliza um deck de curses.

Undying Evil: B, Instant comum preta. A criatura alvo ganha Undying até o final do turno. Divertido.

Forge Devil: R, criatura comum, 1/1. Quando ele entra em jogo, dá 1 de dano em você e 1 de dano na criatura alvo.

Hellrider: 2RR, criatura rara, 3/3. Ímpeto. Quando uma criatura que você controla ataca,  Hellrider dá 1 de dano no jogador alvo. Legalzinho.

Mondronen Shaman/Trovolar's Magehunter: 3R, Lobisomem raro vermelho, com aquela história de vira e desvira. Na face noite (o lado legal), toda vez que um oponente faz uma mágica, leva dois na fuça.

Strangleroot Geist: GG, 2/1, Espírito verde incomum. Ímpeto, Undying. Sabe bicho aggro e bom verde, que anda em falta... É esse cara aqui.

Vorapede: 2GGG, Inseto 5/4, Mítica Verde, Vigilância, Trample, Undying. Essa coisa joga animal num UG delver, usando Call of the Kindred num delver transformado e colocando insetos do grimório para o jogo.

Drogskol Reaver: 1UW, espírito incomum, 2/2. Os outros espíritos (as fichas, lembra...) ganham +1/+1 e tem hexproof. Fichas de espírito 2/2 com hexproof carregando espadas, é isso? É.

Grafdigger's Cage: Artefato Raro, 1. Criaturas não podem entrar em jogo do grimório ou cemitério. Jogadores não podem fazer mágicas do grimório ou do cemitério. Isso é devolper no time de design. Galera no legacy olha para esta carta. Adeus, Birthing Pod.

Sem Wasteland, sem Bob, sem Goyf (especula-se a reimpressão dessas cartas num futuro próximo).

Conclusão

Esse é um resumão do spoiler de Dark Ascension (eu gosto de ver o spoiler na salvation, porque tem RSS para por no google reader e a visualização é mais rápida e conveniente – link.) Vale lembrar que:

- Não teremos cartas dupla face em Avacyn Restored (especula-se que na história não vai ter mais noite, ou seja, sem lobisomens flipando no limited). Quem quiser montar deck de lobisomens, aparentemente vai ter que se virar com isso (eu vou é montar um deck de lobos casual...) Como a temática de Avancyn restored não exatamente parece ser benéfica para os vampiros, receio que eles estejam no mesmo balaio (aquele onde só a ficha do Sorin “joga pra caramba” - e eu não esqueci do Stromkirk Noble).

- Aparentemente, as tribos que jogarão serão, não necessariamente nessa ordem: Humanos, Wizards, Insetos (porque o delver é humano wizard/humano inseto) e espíritos. Com o lord dos espíritos que dá hexproof, Honror of the Pure e Intangible Virtue dá pra fazer uma coisa até meio budget (tentarei fazê-lo).

A edição é pequena e não vai ser tão jogada em Limited quanto as outras edições (Avacyn Restored é draftado separado). Isso significa que essa edição é muito parecida com Worldwake no quesito preço. Temos uma carta estilo Stoneforge-rara-que-todo-mundo-quer (Thalia), o artefato raro que todo mundo quer (Grafdigger's Cage) e outra carta estilo Jace (Sorin – embora as cartas citadas de Dark Ascension não sejam tão boas quanto as citadas de Worldwake, muito menos na comparação Sorin/Jace).

Dealers sabem disso e pessoas comprando na pré-venda sabem disso também (tanto que já vi site suspender a pré-venda de Sorin e Havengul Lich em inglês). Esteja atento a esse detalhe antes de comprar ou vender cartas avulsas de Dark Ascension.

Acho que é mais uma edição que vai fazer sucesso: Chapeuzinho Vermelho, Vovozinha e Maria do Bairro na primeira semana! Quem precisa de Jace? Talvez quem sonhe em jogar Standard de control puro novamente (não é o meu caso, logo, isso não foi uma crítica velada à WotC).

O que eu achei da edição. Achei legalzinha... Pro standard, achei pior que Innistrad. As criaturas legais parecem feitas na medida pra levar dismember, muitas cartas que poderiam ser legais custam cinco (e carta que custa cinco costuma virar calço de geladeira na casa de jogador de magic), muitos problemas...

O deck de tokens Sorin + Elspeth promete (tem um artigo batuta no Star City Games, com decklist pra semana que vem e tudo – link). O problema é que não vejo vindo no horizonte alguma coisa atropele delver blade/UW Humans (que é o sonho de muita gente, hoje em dia).

E o deck budget de espíritos? Exemplo:

22 Terrenos (O que você tiver de 4 Seachrome Coast, 4 Glacial Fortress e 2 Moorland Haunt – se você não tiver nada, coloca uns Evolving Wilds pra não dar BO)

4 Drogskool Reaver (DKA)
4 Delver of Secrets (ISD)
4 Gather the Townsfolk (DKA)
4 Moorland Haunt (ISD)
4 Lingering Souls (DKA)

4 Honor of Pure (M12)
4 Intangible Virtue (ISD)
4 Mana Leak (M12)
3 Vapor Snag (NPH)
3 Equipamentos (o melhor que você tiver entre espadas, pike, coisas...)

SB:
Leonin Relic Warden, coisas que destroem artefatos, Dismember, Oblivion Ring, remoção global, aquelas coisas de sempre...

Por fim: Feliz ano novo atrasado aí pra todo mundo!

Um comentário:

  1. Boa tarde Amigo.
    Alguma carta branca que destrua encantamento?

    Além de desencantar e rasgar!?

    abraçoss
    att

    ResponderExcluir