sexta-feira, 9 de setembro de 2011

Report – Top 1 LQ


Andre_Barrozo


Report – Top 1 LQ São José dos Campos – Hive Mind






Depois de quase dois meses longe dos artigos, volto a escrever aqui para o site. Infelizmente não queria me afastar, pois gosto muito de escrever. Mas não estou tendo tempo de escrever devido à minha situação atual (troca recente de emprego, montagem de apartamento, planos de juntar com a primeira-dama hehehe).
Para quem não me conhece, meu nome é André Barrozo (também conhecido pelo criativo nick andre_barrozo na Ligamagic). Embarquei no Legacy ano passado, mas somente neste ano estou levando mais a sério, traçando uma meta: conquistar a vaga para o Nacional Legacy.
Para quem não interessa a historinha introdutória, Ctrl+F para Lista e o Campeonato e vão direto ao ponto!
Briefing da Missão
Este ano joguei quatro regionais Legacy, e obtive resultados expressivos em todos eles:
-  São Paulo (UPOnline): Top 4 – NO Show
- Paulínia: Top 8 – NO Bant (sendo que na última rodada, eu também joguei valendo o primeiro lugar no suíço, que dava a vaga, e perdi)
- Belo Horizonte: Top 4 – Bant Blade (ou o que quer se seja Bant + Stoneforge Mystic).
- São Caetano do Sul: Top 16 – Zoo

Somando mais um Top 4 no único regional T2 que joguei, pode-se dizer que eu estava frustrado por sempre bater na trave. Não que eu tivesse merecido, mas justamente por ter cometido erros cruciais em todas as partidas decisivas. Deixei de jogar alguns LQs nestes últimos 2 meses, mas agora teria duas chances de ganhar a vaga: dia 03/09 o LQ em São José dos Campos, e dia 11/09 em Jundiaí.

Escolha do Deck

Eu tenho o péssimo hábito de mudar de decks de última hora. E neste caso não foi diferente. Abandonei o Esper Blade que vinha testando (depois de um animador 1-9 nos treinos contra o Fuzari na quarta-feira precedente ao LQ), estava disposto a jogar com um deck que ao mesmo tempo que fosse forte, fosse também ignorado pelo metagame brasileiro.

E qual era este deck? Hive Mind!


O deck consegue ignorar Missteps, não perde automaticamente para anulações em cartas chaves, pune quem anula mal as mágicas do deck, e ainda consegue ser consistente por ser relativamente fácil achar as peças do combo.

Peguei as cartas que não tinha com o Fuzari na própria quarta-feira e montei o deck. Na quinta e sexta, que não poderia treinar, li vários artigos e fóruns sobre o deck, dei uma pesquisada na Ligamagic para ver qual a preocupação dos jogadores em relação ao deck (nenhuma aparentemente),  e fiquei treinando goldfish. O que realmente me impressionou foi a quantidade de turn-3 kills com Force of Will de backup, o que realmente me deixou muito animado.

Lista e o Campeonato

A lsita foi finalizada na sexta-feira, enquanto voltava do trabalho pra casa no trem lotado:


Justificando algumas escolhas:

- 6 Fetches e 4 dual lands: eu sabia que estaria vulnerável a Wasteland, mas eu gostaria de poder castar a Leyline e pagar pelo Pacto preto se necessário. Não precisei castar a Leyline, mas utilizei algumas vezes o pacto. Ainda não sei se compensa deixar as Tundra, mas não gostaria de mulligar até vir a Leyline na mão inicial em alguns matches.

- 2 Emrakul: ele é a pior kill condition do deck, já que dá um turno a mais para o oponente buscar resposta (Karakas, Jace TMS, etc e tal). Li que o Emrakul era quase sempre um dead draw e que só atrapalhava. As listas usam 3 Emrakul para poder tutorar com Intuition, mas pensei que sempre que eu tivesse a opção de usar o Intuition, eu deveria tentar ganhar de Hive Mind. Acontece que em várias vezes, tutorar o Hive Mind não era suficiente, já que eu não tinha pactos nem cantrips para tentar buscá-los. A meu ver foi a falha mais grave da minha lista e me custou pelo menos 1 game. O certo seria jogar com 3 Emrakul.

- 4 Mental Misstep e 2 Intuition: outro erro grave foi deixar apenas 2 Intuition para encaixar os 4 Misstep de main. Os Misstep foram a tentativa de melhorar o match contra Merfolk, já que Cursecatcher e Aether Vial prejudicam muito. Acontece que o Intuition foi excepcional o camp inteiro. Em compensação, Misstep foi mais utilizado como pitch para Force of Will e penso não ser necessário o full-set main deck. O certo seria ter no mínimo 3 Intuition e talvez jogar os Misstep para o SB.

- 4 Leyline of Sanctity: não queria perder para descartes/Clique, e de quebra entra em matches como Burn. Funcionou bem quando precisei, e facilmente os manteria no SB. O único problema é a questão das Tundra, que ainda não me decidi.

- 3 Flusterstorm: Além de ser um counter contra Storm (jura?), ele também é uma boa opção para guerra de counters. Utilizei 2 vezes, e ganhei o game, mas ainda não foi o suficiente para me convencer que a carta é ótima. Precisaria testar mais.

- 3 Into the Roil: As listas que eu vi utilizavam Repeal. O problema do Repeal é o Gaddock Teeg. Como eu gostei da ideia do bounce cantrip, a carta mais próxima que encontrei foi Into the Roil. Não cheguei a utilizar elas, mas talvez Echoing Truth seja uma opção melhor.

Explicada a lista, vamos ao campeonato.  O camp infelizmente teve 29 jogadores apenas, portanto foram 5 rodadas, e 3-1-1 passaria ao Top 8.

Match 1 – Marcos Paulo (Dragonhaque) – BUG Landstill

Conheço o Marcos Paulo e já imaginava que estaria de BUG Landstill, pois há um tempo encontrei ele e o Chineis treinando em SBC.

Game 1:  Vim com poucas Cantrips, e o opp veio muito lento também, apesar de me zicar com Wasteland e fazer vários Brainstorm. Chegou um momento do jogo que eu tinha 2 Show and Tell, 1 Hive Mind, mas nenhum pacto. Decidi blefar e joguei um SaT, para que ele anulasse (ele ainda não havia anulado nada, e estava com 6 cartas na mão). Ele deu Brainstorm, e deixou resolver.


No turno seguinte, o opp tentou resolver um Jace TMS e eu dei FoW, dando pitch no outro SaT, tendo um Mental Misstep na mão. Próximo draw: Emrakul.


Estava sendo espancado por operários e recolhi quando não vi mais perspectivas de vitória.

Game 2: Tentando não tiltar após as jogadas horrendas, mulliguei a 6 para uma mão ótima, com Leyline em jogo. Não me lembro direito deste game, mas combei rápido e o opp novamente não tinha respostas.

Game 3: Keepei uma mão sem cantrips, mas com uma Leyline, o Hive Mind e um Pacto. Acabei encontrando um Intuition, que encontrou SaT. O opp ainda tentou responder ao SaT com Clique, se esquecendo da Leyline.

(1-0)

Match 2: Cauê (Chineis) – TES

Também conheço o Chineis há um bom tempo, desde quando eu jogava em SCS. Sabia que ele estava de TES, pois vi o jogo dele contra o Kang na primeira rodada.

Game 1: Keepei uma mão sem nada do combo, mas com FoW, Pacto da Negação e Monolito e eu no play. Fiz o Monolito, e ele tentou combar no turno seguinte. Anulei o Canto de Orim com FoW e o Tutor Infernal com o Pacto após ele estourar a LED. Aí foi questão de tempo até  encontrar o Hive Mind, apesar do opp quase conseguir pagar os pactos com a quantidade de mana que ele poderia gerar.

Game 2: Keepei outra mão com bastante counters, e pouca ação. O opp tentou combar uma primeira vez, anulei um Canto de Orim com Flusterstorm, e o opp resolveu esperar. O jogo ficou no draw-go por uns 6 turnos, eu não encontrava cantrips e o opp não encontrava uma brecha para combar. Cheguei ao ponto de descartar Pactos da Negação. Até que uma hora, o opp resolve combar de Empty the Warrens. Eu dei Flusterstorm em cada cópia do storm, e ele pagou por 5 cópias com as manas que sobraram, impondo um clock de 2 turnos. Neste momento, eu só precisava do Hive Mind para combar. Like a champ, topdeckei o Hive Mind um turno antes do letal, dando fim ao game mais feio entre combos da história do Legacy.

(2-0)

Match 3: Phablo – Merfolks

Game 1 – Tentei anular um Aether Vial, ele deu Daze no Misstep.Tentei buscar o combo, mas o clock que ele impôs foi muito rápido.

Game 2 – Anulei um Aether Vial, e tentei combar duas vezes, enquanto ele colocava pressão no board. Ele anulou dois Show and Tell, e ainda tinha 2 FoW na mão e 2 cartas azuis caso ele não conseguisse me matar. Neste game, eu embaralhei uma Llawan ao estourar uma fetch, o que foi errado, já que ele tinha 2 folks na mesa botando pressão. O opp  teria a FoW, mas de qualquer modo não deixa de ser uma jogada errada.

(2-1)

Match 4: Mayckol – Zoo

Vi o jogo dele com o Madruga , e sabia que estava de Zoo. O match contra Zoo é muito fácil, então sentei bem tranquilo para o match.

Game 1: Combei no turno 3 com SaT + Emrakul, enquanto o opp tinha gatos e goyfs na mesa.  Ele ainda tentou dar uns burns para tentar diminuir minha vida, mas o Espaguete Voador fez o que ele tinha que fazer.

Game 2: Combei novamente no turno 3, desta vez com Hive Mind, enquanto o opp tinha gatos, goyfs e 1 land a menos por ter zicado.

(3-1)

Match 5: Willians (GW Maverick com NO)

Demos ID para que ambos passassem para o Top 8.

(3-1-1)

Passei em sexto no suíço. O Top 8 era composto de:

Hive Mind                                        ProBant
GW Maverick                                   Zoo
Merfolk                                             TES
UW Stoneforge                                 Junk

Top 8 – Eric Matos (mtg_olaf) – Pro-Bant

Todos os LQs que eu e o Eric participamos nos enfrentamos, e é sempre em algum jogo decisivo. Ele é muito gente boa.

Game 1: Encontrei rapidamente duas peças do combo e terceiro turno fiz SaT. Tinha escolha de fazer ou Hive Mind ou Espaguete. Pensei na possibilidade dele ter Daze para a cópia do pacto e desci o Espaguete, enquanto ele desceu um Relicário. Pensei que ele iria buscar Karakas e voltar o Espaguete pra minha mão, ferrando com a minha vida, mas ele recolheu após comprar a carta do seu turno.

Game 2: Eu anulo duas Noble Hierarch dele com Misstep, e enquanto procuro as peças do combo com as cantrips, ele coloca um Gaddock Teeg e um Terrávoro na mesa. Eu estava querendo guardar o Pacto do Massacre para o Hive Mind que estava na minha mão, mas faltava um land. Matei o Gaddock e fiquei sem o Pacto, mas comprei um Intuition. Ele fez NO e buscou Progenitus, e eu a 5 de vida. Após pensar um pouco, fiz Intutition para SaT, para que sobrasse uma mana caso eu comprasse uma cantrip para achar um pacto. Com toda a skill do mundo, topdeckei um pacto preto e combei.

(4-1-1)

Top 4 – Chineis (TES, lembra?)

Game 1: Keepei uma mão duvidosa, o opp fez Duress tirou meu SaT e combou no turno seguinte com Empty the Warrens, sabendo que eu não tinha nada relevante na mão para anular. Precisava achar duas peças do combo em dois turnos, e não encontrei.

Game 2: Dei uma FoW em um Duress para ele não tirar minha única cantrip. Em uma jogada arriscada, fiz SaT para Espaguete, mesmo sabendo que o TES simplesmente ignora a macarronada e comba na sua cara. Ele tentou dar Canto de Orim kickado no meu turno, mas eu dei Misstep. Ataquei com o Espaguete e passei, com o opp a 5 de vida. O opp ainda consegue fazer Infernal Tutor para Ad Nauseam, mas o Nauseam revela 5 de dano e me salva do que seria a derrota mais engraçada da história.

Game 3: Keepei uma mão ótima, mas com uma cantrip e sem counters. O opp tira minha cantrip, eu compro um Intuition. O Ponder do meu opp deixa as cartas no topo. Eu faço Intuition para buscar a peça do combo que falta e faço Hive Mind. Faço Pacto do Titã e deixo a cópia dele resolver. Com o meu pacto na stack, faço o Pacto da Negação alvejando o meu próprio Pacto. Ele tenta um Brainstorm para achar rituais para pagar as manas, eu faço um Brainstorm que revela 3 lands, mas eu tinha um Flusterstorm na mão para o Brainstorm dele, com as 7 cópias alvejando o Brainstorm, contra a única cópia do Flusterstorm dele por causa do Hive Mind.

E a vaga era minha! Eu até queria sair pra comemorar, mas decidi ficar com a patroa e curtir o fim de noite com ela =)

Conclusões sobre o deck

O deck é bem consistente, consegue se recuperar de um hate, tem vantagem enorme sobre decks “justos demais” e permite você ganhar jogos do nada. O único problema do deck é o match contra Merfolks, que é muito ruim e Merfolk é um deck que sempre está presente em números consideráveis no Brasil. Ainda assim, é uma ótima escolha no momento, já que os jogadores insistem em ignorar a força deste deck.

 Props:

- Ao Fuzari, que emprestou as cartas do Hive Mind e pelas dicas e treinos com o deck
- Ao pessoal da CHQ (S. André) e da Magic Cards (SBC) pelo apoio
- Ao sorteio do Lamaçal Poluído, que eu ganhei
- À Primeira-Dama, por ter dado o alvará de soltura nos dois fim-de-semana pra jogar

Slops:

- Jogadores Legacy da região, que mesmo num LQ com 4 boosters per capita não compareceram em massa e depois ficam de mimimi falando da falta de apoio do formato

Até mais!

Nenhum comentário:

Postar um comentário