quarta-feira, 15 de junho de 2011

Stoneforge: Overrated, Overpowered ou Staple?

 
 
 
 
 
Como todos estão cansados de saber, nos últimos meses a carta que ganhou maior destaque nos formatos Constructed/Eternal do Magic simultaneamente é a Stoneforge Mystic (também bastante conhecida como Lady Gaga). Assim como a cantora, a carta vira e mexe está em discussões polêmicas, principalmente quando a questão é o quanto o formato Standard é prejudicado por seu não-banimento. Não vou entrar muito nessa questão, por existir ‘n’ discussões sobre este assunto. O que eu quero expor é o seguinte: Seria a Stoneforge Mystic overrated, overpowered ou será ela mais uma ‘eterna’ staple, mesmo após sua rotação?
Segue a definição de cada termo aplicado ao Magic: 
 

Overrated: Cartas que os jogadores exageradamente exaltam, quando na verdade a sua importância no ambiente é menor do que realmente falam. Isto é bastante comum em novos l ançamentos de sets. Exemplos: Lotus Cobra e Thrun the Last Troll no Standard
(Nota: não é porque as cartas são overrated que elas não jogam em absolutamente nenhuma circunstância. Elas só não são aquele absurdo que os jogadores comentam, que deformam o formato, etc e tal)
Overpowered: Cartas que fazem o ambiente perder o controle, de tão fortes que são. Quase sempre estas culminam em banimento. Exemplos: Tolarian Academy e Skullclamp
Staple: Carta muito boa (bem acima da média), que ajuda a definir um ou vários tipos de deck em determinado formato. Exemplos: Tarmogoyf e Dark Confidant no Legacy
Um pouco de história...
Não sei se todos lembram, mas no lançamento de Worldwake, haviam equipamentos apenas razoáveis, como o também recém-lançado Basilisk Collar e o Behemoth Sledge. A carta saiu por algo em torno de R$ 5. Pouco tempo depois, o Luis Scott-Vargas fez o famoso 16-0 no PT San Diego, com um Naya que teoricamente ganhava dos Junds (dominantes na época), e a lista ia essa tal de Stoneforge Mystic. Obviamente os jogadores orientados a resultado acharam que o deck realmente surrava o Jund de qualquer maneira, e com a procura da Mystic por todos, o seu preço subiu para R$ 20. Obviamente, depois que todos viram que era um alarme falso, o seu preço foi caindo... mesmo porque a carta jogava em um ou outro deck nos demais formatos... até que a Wizards tem a ideia de terminar o ciclo de espadas que havia começado em Darksteel! E se a primeira espada lançada atualmente não foi o suficiente (apesar da Mystic começar a ver jogo em decks como o GW Quest e o Boros), foi após o lançamento da segunda espada que o famoso Cawblade e suas diversas variantes foram criados, definindo o Standard. O interessante disto tudo é que, após o Caw-Blade ser inventado, decks Extended e Legacy começaram a aparecer com a Mystic com maior frequência (Desnecessário dizer que a procura desta carta fez o preço desta disparar), e hoje temos vários decks em todos os formatos com Mystic + Jace TMS + 2 ou 3 equips + counterspells e disrupts diversos. São decks ligeiramente diferentes entre os formatos, mas todos eles se baseiam na resolução da Mystic, e esperar um momento oportuno para descer o equip com a habilidade, equipar e atacar.
A espada era (ou melhor, é) a lei
Bom, o ponto mais óbvio da Stoneforge Mystic é que ela não funciona sozinha. São necessários equipamentos no deck. Se não tivessem lançado as espadas, a Mystic seria bem inferior, e talvez ela não teria ganho destaque nos demais formatos, e quem sabe ninguém ia se lembrar dela. Isto significa que a Mystic é overrated, sendo os equips os ‘culpados’ por esta modinha, certo?
Errado!
Analisar cartas isoladamente sem contexto é um erro. Magic é um jogo de interação de cartas e situações. Logicamente existem cartas que jogam sem precisar interagir com nenhuma outra, mas a grande maioria estão em sinergia com o resto do deck. Um exemplo simples para entender do que estou falando: imagine o indiscutivelmente staple Dark Confidant (Bob), lançado em um ambiente onde TODAS as cartas possuem CMC maior do que 4 e não houvesse meios de manipular o topo do grimório. Dificilmente ele jogaria nesta situação hipotética. Mas o que eu quis dizer com isto é: as cartas são boas, ou se tornam boas por causa de toda situação, e não por si só. Então, se as espadas existem, e elas fazem a Mystic ficar melhor, assim ela será.
Domínio do UWx Mystic em todos os formatos... será?


No Standard, o Caw-Blade é o melhor deck do formato, ponto. Mas ele não é invencível. O problema é que os decks que ganham do Caw-Blade não conseguem ganhar consistentemente dos demais decks. Isto não é novidade para ninguém. Ainda assim, com o lançamento de New Phyrexia, outros decks estão surgindo, na tentativa de ‘equilibrar’ o Standard. Mas isto não significa que o deck deixará de ser o deck to beat.
Até o final da temporada Extended, existiram algumas variações diferentes, desde o Bant Aggro, que utiliza a Mystic como um recurso e não como principal mecânica, e o UWr que era mais dependente da Mystic, sim. Mas apesar de serem decks Top Tier, eles não eram os únicos decks Top no formato e sequer eram invencíveis.
No Legacy, o UW é um deck relativamente novo, e apesar de ter tido bons resultados, como o Top 8 do Owen Turtenwald no GP Providence, ainda não podemos dizer que está consolidado no formato. Decks como o Bant, o Green & Taxes e até mesmo o Zoo (este mais antes do lançamento de Mental Misstep) estão ‘experimentando’ a Mystic, ainda sem resultados consistentes.
É fácil notar que, diferentemente da época em que Tarmogoyf e Jitte eram Standard onde dava-se um jeito de encaixar estas cartas em qualquer que fosse o deck, a Mystic está construindo novos decks, o que é sempre uma boa notícia.
E após a rotação? Afinal, ela é overrated, overpowered, ou staple?
Não acho que a Mystic irá deixar de jogar, muito pelo contrário. Ela tem potencial (e o suporte dos equips) para continuar jogando nos demais formatos, seja em decks que dependam dela, seja em decks que podem contar com sua ajuda. Os equipamentos são cartas bastante úteis, que tornam qualquer criaturinha em ameaça, e a Batterskull nem precisa de criaturas para equipar.
Na minha opinião, a Stoneforge Mystic é uma staple, e por mais que ela tenha participação direta na chatice atual do Standard, eu acho que é uma carta que trouxe mudanças bem-vindas. Jogará até o fim (ou até ser banida, se é que vai ocorrer isto) no Standard, e continuará jogando no Extended, no Modern e no Legacy.
Bonus Game: Top 4 no Legacy Qualifier BH



Em meu artigo sobre o Pro-Bant, mencionei que comecaria a testar o Bant sem o combo Natural Order + Progenitus, para dar lugar ao Stoneforge Mystic + Equips. Para variar, não tive muito tempo para testar o deck e fui com uma lista que não considero a ótima. Fiz Top 4, ganhando de 2x Merfolks, Goblins, Elfos (Top 8) e uma concessão, empatei com um BGW Junk Depths e perdi para Elfos (suíço) e Green & Taxes (Top 4). A Mystic brilhou em todos os matches que apareceu, e fez falta quando não veio. Jitte e Batterskull foram os alvos preferidos, enquanto que a Sword of Body and Mind não foi excepcional. Ela deu bem mais consistência para o deck, e continuarei jogando com ela, pensando em colocar pelo menos mais uma.
Segue a lista:
1 Verdant Catacombs
4 Misty Rainforest
4 Windswept Heath
3 Tropical Island
2 Tundra
1 Savannah
1 Karakas
1 Dryad Arbor
1 Forest1 Island
3 Wasteland

4 Noble Hierarch
1 Tarmogoyf
2 Qasali Pridemage
2 Stoneforge Mystic
3 Knight of the Reliquary
3 Vendilion Clique

4 Brainstorm
3 Swords to Plowshares
3 Green Sun`s Zenith
4 Mental Misstep
2 Daze
4 Force of Will
1 Umezawa`s Jitte
1 Batterskull
1 Sword of Body and Mind


5 comentários:

  1. belo artigo André!
    e parabens pelo resultado em BH, foi por pouco ein?
    certeza q a vaga virá logo menos

    ResponderExcluir
  2. Belo artigo amigo!

    Tbm acho que seja uma Staple, afinal Overpowered a carta não é, mas acho que não dá pra considerá-la como Overrated pelo estrago que causa em diversos formatos!

    ResponderExcluir
  3. Muito bom André. Conseguiu esclarecer bem a questão.

    ResponderExcluir
  4. Questão: Sujeito desce stoneforge e você tem como matar ela. Você mata? Mata. (A não ser que sua única chance seja matar o jogador direto - go burn!). Não existe uma opção "será que eu mato ela ou não?" Ou mata ou morre. Isso = overpowered.
    No Standard: pra mim é o topo do power level. Jace não tem um cláusula "mate o jace". Ele é overpowered num sentido de ser excelente e chatinho. Stoneforge é simplesmente excelente, apesar de ser meio complicada de jogar-se com.
    A diferença entre ela e jace é que jace mata sozinho.
    Uma coisa que as pessoas precisam ter em mente é que stoneforge do 2º turno é um tutor. E só. O cara vai atacar no turno seguinte para ver se você bloqueia com a stoneforge. Se você não bloquear, o cara vai jogar alguma coisa nela e ela vai morrer.
    Por isso, é muito comum a jogada:
    Mana vai
    Mana stoneforge, batterskull na mão.
    Uns 2 três turnos olhando pro batterskull na mão.
    Mas eu não acho nem de longe a melhor (embora funcione na maioria das vezes).
    Quando a gente vê a stoneforge no legacy, ela puxa espadas (que dão proteção contra cores e jitte).
    Stoneforge não é carta de deck de combo, pra você puxar batterskull e combar, é carta para controlar o match (dependendo do oponente e de quando a stoneforge cair).
    O fato é que ela quebra muito - e quando o assunto gira muito em torno de uma carta só e a carta começa a jogar muito em quase todos os formatos em que é permitida (Jace joga legacy, mas não é "tem azul, vai Jace" que nem no standard), dá para se dizer que é overpowered (pra mim, mais do que goyf e jace).
    Eu jogo legacy somente com burn (aquele deck com 50% de matchup, que você joga fazendo conta, sem olhar pro oponente) e stoneforge mystic é uma das poucas cartas que a gente olha e pensa quando cai. :)
    Bant - Falando mais sério um pouco, olha esse link e essa lista:
    http://forums.mtgsalvation.com/showpost.php?p=6832371&postcount=289
    O cara joga sem FoW e explica o porquê (card disvantage e mental misstep fazendo o serviço). Um Fowless Goyfless bant. Não sei se isso se adaptaria ao meta local, mas vale uma olhada.

    Finalizando, no standard: Jace TMS - Staple; Stoneforge Mystic - Overpowered; Batterskull - algum lugar entre staple e overrated (tem esse?) num meta aggro.
    Legacy - se não é overpowered no legacy, não é legal. Bant é o lugar ideal pra stoneforge na minha motesta opinião.
    Sobre banir: Baniria Karn, que faz as pessoas concederem através de sua habilidade chatice³. Onde cai Karn, dá empate por tempo :)

    ResponderExcluir
  5. Hélio dirá de novo:

    Tem um artigo em inglês explicando o porque do ban:
    http://www.wizards.com/Magic/Magazine/Article.aspx?x=mtg/daily/feature/148

    Resume com a frase: diminui a quantidade de participantes no PTQ e no release de NPH.

    O que bateu do meu comentário gigante com o artigo do Aaron Forsythe:

    Stoneforge - over. E Bant é o lugar pra stoneforge.
    Batterskull - entre staple e overrated.

    Queria que eles banissem Karn...

    Achei meio inútil terem banido stoneforge e jace só agora, mas a falta de participação nos torneios explica bem o motivo.

    Jace mata jogador. E a stoneforge, que quase matou o standard? Hein?

    ResponderExcluir