segunda-feira, 18 de abril de 2011

Os 10 Melhores Lands do T2


Mais uma vez trago um artigo comparativo para vocês, mas desta vez comparando algo que todos precisamos e muito: os terrenos!
Há tempos o Magic não se resume mais a usar apenas terrenos básicos, salvo raríssimas exceções. E nessa onda, o Standard não poderia ser diferente! Pelo contrário, é um ambiente muito dependente dos terrenos não-básicos.

Pensando nisso resolvi criar um ranking com os 10 melhores terrenos não básicos do T2. Não vou incluir os lands básicos, pois acho desnecessário e creio que todos têm em mente a importância destes em quaisquer formatos.

Em algumas posições irei colocar apenas 1 terreno ou alguns empatados, já em outras colocarei o ciclo inteiro para não ser injusto com nenhuma cor (desde que todas as cartas do ciclo sejam merecedoras da posição, ainda que umas mais do que as outras).

Também quero ressaltar que o ranking abaixo é fruto unicamente da minha opinião e sei que alguns concordarão e outros não por isso sintam-se a vontade para questionar, criticar e fazer seu próprio ranking, afinal ninguém aqui é o dono da verdade.

TOP 10 - LANDS STANDARD:

10º Posição:





- Terramorphic Expanse / Evolving Wilds / Ciclo de Terrenos Comuns de Worldwake (Bojuka Bog, Smoldering Spires, Halimar Depths, Khalni Garden e Sejiri Steppe).





Explicação: Os 2 primeiros terrenos, obviamente são iguais, e possuem uma posição importante em alguns decks, sobretudo naqueles que abusam de Landfall. Também é importante mencionar que apesar de colocarem o land buscado tapado, podem buscar qualquer land básico o que amplia e muito seu campo de utilização.
Já o ciclo de Worldwake está empatado nesta posição, pois é simplesmente o melhor ciclo de terrenos comuns do T2 atual, já que todos os terrenos são usados em um ou outro deck (claro que alguns mais do que outros) e até em outros formatos, sendo o único destes ciclos do Standard onde isso ocorre.

9º Posição:



- Mystifying Maze / Teetering Peaks / Oran-Rief, the Vastwood.



Explicação: Mystifying Maze embora gere apenas mana incolor e tenha um custo alto de ativação pode ser uma peça chave em vários controls, propiciando a estes uma defesa extra, isso sem mencionar o fato de que pode remover criaturas chave como Kalastria por exemplo, podendo assim ignorar sua habilidade. Infelizmente não é utilizado em todos os controls, provavelmente por gerar apenas mana incolor e em virtude disso não ocupa uma posição melhor.
Teetering Peaks é um terreno que gera mana vermelha e entra tapado, mas o bônus ofensivo que proporciona supera de longe seu drawback, tornando-o uma excelente aquisição aos decks aggro que se utilizam de vermelho no T2. Neste caso, diferentemente do ocorrido na 10º posição, não irei incluir o ciclo inteiro de terrenos comuns de Zendikar, ao qual Teetering Peaks pertence, visto que os demais terrenos deste ciclo não têm nem de longe a importância deste.
Oran-Rief, the Vastwood é utilizado, principalmente, no Elfos do T2 atual e cai como uma luva neste, sobretudo sendo utilizado com Joraga Warcaller.

8º Posição:



- Eye of Ugin / Eldrazi Temple.


Explicação: A importância de ambos os lands é a mesma, embora 1 deles seja lendário, ambos são peças-chave de qualquer deck Eldrazi-based e por isso estão nessa posição.

7º Posição:



- Contested War Zone / Inkmoth Nexus.


Explicação: Ambos os terrenos são muito importantes no T2 atual, sendo o 1º uma peça importante de vários decks aggro atuais (sobretudo Kuldotha e Quest) e o 2º um terreno que a cada dia ganha mais espaço, mesmo fora do T2, graças ao infect que possui quando se transforma em criatura e, claro, ao fato desta ser artefato.

6º Posição:




- Ciclo de terrenos raros de M10/M11 (Sunpetal Grove, Glacial Fortress, Dragonskull Summit, Drowned Catacomb e Rootbound Crag).


Explicação: São os terrenos chave de quaisquer decks não-monocolors do T2 atual, sendo também muito utilizados em outros formatos, sobretudo no Extended. Infelizmente, só existem nas cores amigas por enquanto, mas sua importância é inquestionável e merecem ocupar tal posição.
Sua única desvantagem é requererem o uso de lands básicos como suporte, senão entram virados e, portanto, em uma mão inicial com 3 terrenos assim é de se pensar se vale a pena mulligar ou não, dependendo do seu oponente, claro, pois certamente seu jogo demorará a se desenvolver.
São mais bem utilizados no mid e late game, quando, em regra, já se terá algum dos terrenos básicos solicitados para que tais terrenos não entrem tapados.

5º Posição:




- Ciclo de terrenos raros de Scars of Mirrodin (Seachrome Coast, Razorverge Thicket, Darkslick Shores, Copperline Gorge e Blackcleave Cliffs).


Explicação: Admito que fiquei em dúvida sobre qual ciclo de terrenos deveria ocupar a melhor posição, o de Scars ou o de M10/M11, mas, embora possa dizer aqui praticamente o mesmo que disse sobre os anteriores (que são muito importantes no T2 e até em outros formatos, sobretudo Extended e que só existem nas cores amigas por enquanto) preferi deixar este ciclo em uma posição superior não por ser melhor que o seu concorrente, já que ao meu ver são equivalentes, mas sim por ser mais recente e ter inovado nos terrenos multicoloridos.
Não requerem a presença de lands básicos, mas se controlar 3 ou mais terrenos eles entram virados, tornando-os deste modo melhores do early game.

4º Posição:



- Valakut, The Molten Pinnacle.


Explicação: Talvez esteja sendo injusto com tal terreno, já que o mesmo é “a carta” dos decks em que é utilizado (e isso não se resume apenas ao T2) e por isso, talvez, merecesse uma posição ainda melhor. Porém, preferi deixá-lo fora do pódio apenas por se restringir a um único e determinado deck (Valakut no Standard e Scapeshift no Extended), não sendo, em regra, utilizado fora deles.
Todavia, sua importância é inquestionável, sendo ele o responsável por um dos decks mais chatos fortes do T2 atual.

3º Posição (Medalha de Bronze):




- Fetch Lands de Zendikar (Marsh Flats, Arid Mesa, Scalding Tarn, Verdant Catacombs e Misty Rainforest).


Explicação: Seria impossível tais terrenos ficaram de fora de qualquer ranking sobre terrenos de Magic e por isso garantiram o bronze aqui. Sua importância é única e são utilizados em todos os formatos existentes (exceto pauper, claro). Sua utilização melhora ainda mais no Legacy, onde podem ser usados com Shock Lands e Dual Lands.
Por serem de cores inimigas abriram um novo leque de possibilidades e fazem parte de qualquer pool competitivo de cartas de Magic.

2º Posição (Medalha de Prata):




- Man Lands de Worldwake (Stirring Wildwood, Creeping Tar Pit, Celestial Colonnade, Raging Ravine e Lavaclaw Reaches).



Explicação: Aqui também fiquei em dúvida se a 2º posição deveria ficar com as Man Lands ou com as Fetch Lands e admito que, se fosse analisar o uso em todos os formatos, as Fetch teriam ficado com a prata! Porém, a análise geral é no Standard e por isso mesmo vejo uma importância ainda maior nas Man Lands, embora estas também sejam utilizadas em outros formatos, sobretudo no Extended.
São peças fundamentais em todos os decks que se utilizam dessas cores e embora algumas sejam bem superiores à outras, tenho que reconhecer que todas as cinco são boas e utilizadas em seus respectivos decks.
Infelizmente, ainda só existem nas cores amigas também, mas espero que um dia lancem as de cores inimigas, seria uma grande aquisição.

1º Posição (Medalha de Ouro - Campeão!!!):



- Tectonic Edge.

Explicação: Em um ranking sobre terrenos e após toda essa análise exaltando a importância dos terrenos não-básicos no Standard atual não seria possível tirar o ouro dessa carta, considerando que a análise se baseia no T2.
Embora não seja utilizada em todos os decks no T2 atual, sem dúvida marca presença em muitos deles e aparece bastante no Extended também.
É um terreno que gera mana incolor e que por um custo baixo pode destruir um terreno não-básico se o oponente tiver 4 ou mais terrenos. Inclusive, existe aquele “combinho” já manjado, mas muito útil, de deixar a habilidade na pilha e ativar 2 Tectonic Edge, muitas vezes deixando o oponente com 2 lands na mesa, o que, em muitos casos é GG.
Realmente, me parece ser uma carta indispensável no meta game atual e merecedora da 1º posição, como terreno mais importante do Standard atual!

Enfim, era isso, espero que tenham gostado do artigo e como disse antes se sintam a vontade para discordar, comentar, criticar, etc, o intuito é esse mesmo.

Até a próxima,

Duelistaguara

2 comentários:

  1. Quando eu vi os man land em segundo eu fiquei me perguntando o que poderia estar em primeiro. Concordo com o Edge nessa posiçao u_u

    Uma sugestão/pedido: faça o próximo top 10 sobre planinautas t2 .o/

    ResponderExcluir
  2. Gostei bastante do artigo. Como sugestão, poderia fazer uma série dessas do Legacy também (será que a Wasteland ficaria em 1o lugar? Será? XD)

    Só acho que você poderia ter classificado individualmente as cartas, por exemplo: no T2 atual, Tar Pit e Colonnade são melhores que as demais man lands, etc e tal. Eu acho que ficaria interessante.

    ResponderExcluir